Oscar 2020 – Possíveis indicados – Parte 1

POR LEONARDO “SILVERBOLT” DIAS

Sempre apreciei a sétima arte. Só que minha cidade ficou mais de uma década sem uma sala de cinema qualquer. Seus dois cinemas anteriores estavam fechados e seguiam o modelo antigo, uma sala só gigantesca, hoje só vista em cinemas bem clássicos que sobreviveram à compra de Igrejas e afins.

Portanto, era preciso escolher a dedo qual filme ir numa cidade vizinha assistir e a preferência era sempre pelos blockbusters que iriam espalhar a semente do spoilers na velocidade da luz e depois não haveria mais novidade.

Depois aconteceu a retomada no nosso Mercado Municipal, um cinema moderno com duas salas, uma dedicada ao 3D que eu dispenso sempre que posso. Embora com duas salas as escolham aumentaram para três opções: blockbusters, animações e filmes nacionais com o selo Globo Filmes. Filmes como os que vou falar hoje aqui passavam a milhas de distância.

Ao mudar peguei uma rede dedicada ao cinema, que dá espaço para filmes que não cobrem o grande público, realizando sessões duas vezes na semana desses filmes, incluindo uma delas com um debate após a sessão uma vez no mês. Outro universo para quem gosta de cinema.

E aqui estou começando antecipadamente um comentário sobre filmes que podem ser de fato indicados ao Oscar 2020. Com base em que? Apresentação em festivais, críticas lá fora, e um canal do Youtube que vou recomendar aqui, chamado Dalenogare Críticas.

Com spoilers

O primeiro filme da lista pode concorrer na categoria de Melhor Filme Estrangeiro, mas não impede de chegar a categoria principal, afinal ano passado tivemos Roma e Guerra Fria nessa categoria.

Chama-se Dolor y Gloria, é o último de Pedro Almodóvar, o diretor espanhol já consagrado pela Academia com o filme Tudo sobre minha mãe em 2000 com os prêmios de Melhor Filme Estrangeiro, Diretor e Roteiro Original, abocanhando também outros prêmios pelo mesmo filme. Volta ao holofote nesse filme que trabalha duas camadas de metalinguagem.

O filme fala sobre um diretor de cinema muito doente e desanimado com a vida, que revê um filme seu de 30 anos e quer fazer as pazes com o ator principal dessa obra, com o qual entrou em conflito logo após a estreia do mesmo. Então vemos a discussão sobre um filme dentro do filme.

E com o passar do longa, outra obra em forma de uma peça de teatro é montada baseado na história de Salvador Mallo, personagem de Banderas e protagonista do filme e representado de forma primorosa por Alberto Crespo, personagem de Asier Etxeandia.

E quando achamos que isso bastava para ter um filme de muita qualidade, temos um senhor plot twist na última cena que desconstrói toda a montagem do filme que acabamos de ver.

Um filme de 1h53min de duração que você sequer sente o tempo passar.

Continua

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s