RESUMO DA OBRA – Nº 60 – VERSÃO POCKET 8

POR LEONARDO “SILVERBOLT” DIAS

Esse segundo Resumo da Obra do ano de 2016, vem para falar de séries já concluídas. Heroes Reborn que iniciei a cobertura em setembro passado e American Horror Story: Hotel.

Com spoilers

Resumo da Obra

More

Heroes Reborn (1×03 a 1×13): Começar essa matéria com uma correção da primeira parte, não foi uma avião que lançou bombas durante o festival dos EVOS. E sim a nuvem negra com o poder de Phoebe que anulava as habilidades dos EVOs para que os clones infinitos de Harris pudessem funcionar como homens bombas. Só uma das pedras na sopa que foi esse reboot.

CLONES HARRISAntes de continuar pela infinidade de pontos fracos, vou falar de dois aspectos positivos desse reboot. Primeiro os poderes mesmo a dobradinha de Tommy (podia roubar qualquer poder como Peter e roubou logo um dos mais legais, o de Hiro, controlava o Tempo e o Espaço) não tiveram o efeito Deus Ex-Machina da série original.

E a trama do episódio duplo que conta que são Tommy/Nathan e Malina funcionou muito bem, o problema é que parou ali. Muitos dos rostos novos poderiam ser simplesmente descartados. Carlos não fez praticamente nada de útil, Miko e Ren foram as piores adições da história.

TOMMY

Malina que parecia super overpower só controlava o vento (pelo que entendi), Luke (também conhecido como Chuck Bartowski) até deu uma melhorada depois que virou casaca para o lado do bem, embora sua história no geral continue sendo muito fraca.

Noah coitado parecia o grande herói da história e teria sido morto por um carro voando no meio da tempestade, foi salvo para servir de sacrifício e salvar o mundo, até seria legal a metáfora que o ligava a filhas e os netos, porém a série já estava tão ruim nesse ponto que não funcionou.

Angela Petrelli a figurante de luxo apareceu hora com uma velhinha decrépita e depois do mesmo jeito que antes.  Tanta viagem no tempo deve ter confundido os roteiristas. E Hiro, morreu mesmo? Nada mais foi dito a respeito do único oriental desse reboot que merece algum respeito.

E para coroar a minissérie, Tim Kring conseguiu deixar sua série novamente sem final. Deixando um gancho sobre o pai das crianças, que seria algum tipo de vilão da próxima temporada que não acontecerá.

American Horror Story: Hotel (5×01 a 5×12): Com o tempo curto não consegui (novamente) fazer uma matéria episódio por episódio de American Horros Story: Hotel.

Esse quinto ano da série foi bem positivo de maneira geral, o único problema foi à falta da linearidade da história, o que poderia ser um bom recurso narrativo deixava personagens completamente de lado por semanas, tramas que pareciam esquecidas voltavam para pincelar um final nada satisfatório. Posso citar as crianças vampiras criadas por Alex, a vingança de Ramona e até as próprias mortes no Hotel. Nenhuma daquelas pessoas tinha uma família para zelar por seu desaparecimento.

Lady Gaga não me incomodou, sua personagem/personalidade tinha a cara de AHS, funcionou muito bem como a protagonista Condessa Elizabeth vampira moderna.

Dennis O´Hare brilhou como Liz Taylor, a mulher que nasceu no corpo de homem, acho que seu melhor papel na série, me lembrando dos bons tempos de True Blood com esse excelente ator.

LIZ TAYLOREvan Peters depois de duas bolas fora com os personagens passados, conseguiu se sair muito bem como Mr. March, o episódio do Devil Night, o primeiro principalmente é um show, ele como mentor de vários seriais killers famosos.

Donovan, Ramona, Will Drake, Finn Wittrock (com seus dois personagens), Gabriel (New Girl) e até Kathy Bates ficaram muito tempo relegados, a última foi a que teve bons momentos espaçados.

E John e sua família teve tempo de tela, faltou mesmo é carisma dos personagens, a menininha humana era a mais calorosa de todos.

Por mais que tenha desdenhado da série, gostei de agora assumidamente um universo coeso proporcionar participações especiais, como é o caso de Sarah Paulson que atuou duplamente no Season Finale.

SARAH PAULSONE até da rápida aparição de Queenie por mais que sua morte e o Coven ignorando seu desaparecimento. Já mencionei acima desse problema, fosse uma grande falha do roteiro.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s