Resumo da obra – nº 37

POR LEONARDO “SILVERBOLT” DIAS

Com muita tristeza estou escrevendo esses reviews, 24 – Live Another Day se despede na próxima semana e agora preciso da minha dose anual de Jack Bauer, assim como Community, Save a America – Renovem 24 Horas.

True Blood que é certo o fim dá sinais de recuperação. Agora é torcer para que alguns personagens estáticos se conectem com a trama principal.

Resumo da Obra

24 9×11: Um complô dos países que mais odeiam Jack Bauer: Rússia e China realmente acontecem quando vimos Cheng se comunicando com Stolvanish aquele que ameaçou Mark Boudreau.

Os russos atrasam o trabalho do melhor agente americano de toda a história que só chega para ver o massacre do Open Cell e que o dispositivo sumiu. Chloe antes de partir grava a voz de Cheng para Jack ter certeza do próximo inimigo a perseguir. Ligando facilmente os pontos e conectando Mark ao ataque russo inesperado.

MARK E RUSSOColocado contra a parede ele revela que fez aquilo para limpar a barra com os russos ao saber que Jack estava novamente trabalhando para o governo americano. Se tornando peça chave para saber o paradeiro de um dispositivo que já provocava a Terceira Guerra Mundial, com o presidente chinês não aceitando o discurso de James Heller e preparando ataques contra a base americana no Japão.

Retaliação que Audrey tenta impedir escolhendo o pior lugar neutro de todos os tempos para se encontrar com seu contato e se tornar alvo de Cheng uma segunda vez na história da série.

AUDREYO chefe final da temporada perdeu Chloe depois que a mesma parou a máfia chinesa com um cano de ferro, uma porta aberta, um salto, inconsciência e um timing perfeito com o caminhão do exército passando na hora de sua busca.

Chloe que volta a ser a peça chave para saber o paradeiro do inimigo e do dispositivo, já que o russo morreu durante o massacre feito por Kate e Jack e o fight com Mark.

True Blood 7×03 – Fire in the Hole: Crítica é igual religião cada um tem a sua. Li muitas reviews dos episódios 7×02 e 7×03 e discordo de muito do que foi escrito. O episódio dois foi fraco sim, uma hora desperdiçada numa temporada final com apenas 10 episódios de duração e todos os cenários montados não levaram a lugar nenhum se pararmos para ver nesse episódio. Mesmo assim, essa semana teve uma hora melhor, com personagens dispensáveis sim, mas esse já é o espírito de True Blood.

Começando de Lafayette e James, se nada acontecer naquele núcleo é bizarro só mostrar os dois flertando e usando drogas para nada, parece que só para ocupar espaço ou mostrar que ambos estão vivos.

Já o criticado Reverendo, eu acho que sua história e sua função são muito peculiares, quanto mais agora que a população da cidade está de cabeça para baixo, naquela típica crítica aberta da série de matar tudo que é diferente. Pegaram a mensagem? Willa parecia uma filha recebendo conselho e sendo alimentada, só que a personagem é outra que não tem propósito.

Lettie Mae e seus vícios também são uma representação da série para manter Tara no elenco, já que a morte da personagem, sua True Death, foi confirmada pela Maker Pam.

Pam que demorou um episódio todo convencendo Eric a se erguer e não se entregar a doença senti falta – embora depois de Pam confirmar a súplica dos fãs que reclamaram que ela não sentiu a morte de Tara – de explicações da sobrevivência de Eric na última cena que o vimos. Ou ficarei com ele viveu, adoeceu e pronto?

O flashback dos dois vampiros pecou em excesso de tempo em tela, no drama da morte de Sylvie que nunca existiu e diante da escolha dada pelo Yokonoma Corporation não seria outra. Afinal Pam ainda “vive”. É bom ver o início da criação do True Blood, a importância de Eric nessa história e da tal Corporação que veio com tudo, um inimigo a temer muito maior que os Hep-Vamps que só pareceram vilões até mostrar sua fragilidade na cena que levam Holly de petisco na caçada.

Caçada que termina no encontro com Sookie, que ficou o episódio todo plantada conversando com Bill sobre seus sentimentos com Alcide, do fato de ser uma isca para vampiros e usar isso para encontrar as sequestradas ainda vivas.

LOBO RULAAntes do desfecho dessa história, os vigilantes de Bom Temps saíram matando vampiros figurantes da trama testemunharam o prefeito virar uma águia, Alcide como lobo, atiraram em Jessica, e para compensar a batalha dos fracos e fortes a Senhora Fortenberry tem as tripas arrancadas por Violet. Já vai tarde.

No conflito que se dá entre Hep-Vamps, time Sookie, time Andy, Alcides e vigilantes, os Hep-Vamps são mortos, Holly fica livre, só que nem tem tempo de respirar e Alcide toma dois tiros certeiros que leva embora o personagem.

Sua química com Sookie não funcionava, e ele teve pouco tempo de brilho em toda a série, mas é uma perda, ou um caminho se moldando para que o casal original volte a ficar junto antes do final.

Inimigos caem, outros dão as caras, e Sarah Newlin volta a parecer como Noomi uma discípula e amante de um guru indiano que acaba sem cabeça no processo de caçada da Yokonoma Corporation.

SARAH NOOMIO que eles desejam com Sarah? O mesmo que Eric e Pam vingança contra o que ela fez com sua raça? Ou algo mais?

Continua em breve.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s