Um novo pergaminho na história de Inpergoh – Capítulo Final: Fecham-se as cortinas

POR LEONARDO “SILVERBOLT” DIAS

Nem mesmo os Dragões Ancestrais de Inpergoh conseguiram deixar as Esferas que deram origem a Magia do mundo seguras, num último ato na batalha de Farhzeug antes dos portões se abrirem, Seth drenou a magia do mundo com a última esfera e libertou algo novo com a Última Esfera. O que será?

O grupo chega ao princípio da criação e descobre a origem dos Sábios de Antikhytera e dos Sétimos Filhos: Ahstan, Zephaniah, Gilan, Rickmond e Marlene.

pergaminho RPG

Na criação

Cinco homens gigantescos sob seu ponto de vista aparecem como sombras sob o céu noturno, parados ali flutuando no espaço.

Cyéus: – Tem certeza disso? Não acha arriscado começarmos algo desse ponto de vista.

Shiro: – Não. Acho que assim as nossas criações terão forças para lutar contra tudo que existe, já nos preparamos para uma rebelião entre nós, criando tudo que os Cinco Antigos pediram. Agora é hora de prepararmos o futuro.

Aliester: – Eu concordo é melhor que eles sejam fortes mesmo.

Dario: – E quais serão as regras?

Shiro: – Iremos conversar com calma, não pode ser algo muito fácil e também nada impossível, não cabe aos humanoides atos impossíveis.

Arthur: – Então vamos definir tudo isso antes de começarmos a criação…

Algum tempo depois disso, Shiro aponta o dedo e dele sai uma forma humanoide, seu Avatar.

Shiro: – Dessa vez seremos nós os responsáveis e você o guia, a primeira tentativa foi frustrante espero maiores avanços dessa vez.

Kaoin: – Já escolheu as almas?

Shiro: – Quatro delas. Ahstan, Fabregas, Zero e Katsulee.

Ele caminha até um grande lago tira uma gota de água e assopra, virando uma bolha branca e arremessa a um planeta.

Shiro: – Que inicia sua nova missão de recrutamento Kaoin.

Kaoin: – Que assim seja!

Kaion salta na terra. Próximo à pirâmide.

Pirâmide do Espírito da Lua

ESPÍRITO DA LUA

O grupo surge fisicamente no local onde conseguiram um dos itens e descobriram que Zero foi uma das primeiras almas criadas, a primeira entre sua raça de lobisomens.

O avatar Kaion sai da pirâmide como um espírito, só que assume forma física.

Kaoin: — Vejo que completaram sua jornada. Finalmente chegaram à última memória, daqui para frente é descobrir o resultado de tudo que fizeram.

— Althorus, o Deus da Morte. Cosmus, Deus do Espaço. Tempus, o Deus do Tempo. Mafeen, Deusa da Vida e Silverbolt, o Deus da Esperança.

— Eles não são deuses desse mundo que conhecem. São de outros. Foram os criadores de nossos criadores. Porque tudo é um ciclo infinito. Daí vem à lição dos ciclos de quase 100 anos.

— O objetivo final talvez não venha rápido. Vai depender do que aprendeu com as memórias e do retorno de vocês ao seu tempo. Os deuses quiseram prepará-los, por que os mesmos não estavam quando se mundo entrou em conflito por causa dos atos de Kevin Luminaire.

— Os Supremos prenderam Luminaire.

Kaion começa a se tornar um borrão. Novamente escutam portões só que se fechando e…

O grupo retorna a uma Darjeeling, a cidade está movimentada de novo, mas sem trem ou dirigíveis, com um alto número de carroças e carruagens passando pelas ruas. Nem sinal dos destroços da Fortaleza Wyvern, da batalha, o lugar parece limpo.

Por um tempo fica o silêncio. Logo depois as pessoas correm. Pessoas o cercam, fazendo muitas perguntas e escrevendo rápido em blocos com vários pergaminhos amarrados por cordas. São repórteres do Grupo de Comunicação em sua nova versão sem tecnologia.

O grupo escuta seus nomes e são chamados como “Aqueles que abriram os Portões da Memória”.

— Onde vocês foram? Por que sumiram por três meses? Como conseguiram? O que viram? Conte-nos.

Dê espaço para eles diz um homem no meio da multidão. Seth o reconhece como Ainur.

— Venham comigo. Obrigado por terminarem com o ciclo infinitos do apagar das memórias. Vou guiá-los sobre o que aconteceu nesse período em que estiveram longe e acho que terão outras boas notícias entre outras não tão boas assim.

Ele abre uma casa no salão de entrada estão Rickond e Gilan com o bebê agora com alguns meses que é a reencarnação de Marlene.

Ainur: – Antes de chegar aos quartos. Posso dizer que quando pessoas começaram a chegar à cidade aquele dia encontrou um cenário de batalha gigantesco, a Fortaleza tombada sobre onde passava a linha da Malha Ferroviária e nem sinal de pessoas ou corpos. Tudo muito estranho. Pedi ajuda ao oráculo que trabalha para Jacques e ele conseguiu voltar ao dia da batalha, e me deu detalhes do aconteceu, logo depois que a tecnologia que havia no mundo simplesmente parou de funcionar.

Com isso vemos o que enfrentaram, as misteriosas mortes de Grunnion e a desconjuração das Magias Vivas, o selamento da magia que libertou Victor, Arsh e Kainnos Felden desaparecidos desde o ataque a Sfelt, a capital continuou em defasagem até que pessoas começaram a praticar uma magia diferente da que conhecíamos baseada em elementos.

?????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????Depois de um tempo a magia antiga retornou com certas limitações que não possuía antes, como se fosse alterada, pelo que oráculo me informou pelas esferas dracônicas. Nem sinal de Entrópicos ou Magos do Caos, o que fizeram deu certo.

Majien e Imansiz infelizmente ou felizmente para alguns não existe mais, a Armada Rubra perdeu muitos homens no reino dos cientistas, mas recuperou outro tanto de bravos guerreiros que conforme se lembravam de lutas de eras antigas se entregavam ao treinamento da Fornalha do Inferno.

Symia se adaptou as suas novas condições e resiste. Sfelt com o tempo voltou a ser como antes, Kaupellinen foi reconstruída também. As pessoas agora sabem que viveram muitas vidas antes dessa, que seus caminhos eram barbaramente interrompidos.

Os aliados de Grunnion no Pentagrama foram presos e o Clã das Sombras não deu as caras depois do ocorrido. A Fortaleza foi destruída criando um portal temporário para o Plano das Sombras, fechado por três Suoens que diziam fazer isso por Zephaniah.

O mistério que restava era o desaparecimento dos corpos da batalha, o oráculo conseguiu vislumbrar uma única cena que mostra alguém os despertando como monstros e o levando para longe.

É o próprio oráculo que abre o quarto onde repousam Yves, Claire e Katsulee agora melhor. Além deles, estão ali Netholis com duas esferas que podem sugar as almas de Kyren e Sothur de Bresinger e gerar novos corpos aos dois. Depois de uma despedida os três dragões voam para o nordeste.

Yves pede perdão por fraquejar naquela batalha, Claire por abandonar Ahstan ou qual seja o nome dele de fato.

Eles são informados que Valiance e o Sábio das Trevas não foram mais vistos.

O ano atual agora é conhecido com 801, tudo que viram, ou pelo menos 80% são de conhecimento geral. As pessoas sabem a origens de todas as cidades e importantes construções e raças. Aquilo que estava fora do lugar foi omitido. Assim preservando alguns perigos das memórias libertadas.

As bestas não foram mais avistadas, as fontes de energia que estavam em Imansiz recolhidas com magia de proteção para atravessar o lugar. A Casa Di Ventini voltou a usar o nome de Conselho dos Reinos. O Lâmina Diamante caiu e Ainur é o atual membro representante da magia branca.

O grupo pode questionar o que aconteceu com Marco De Lucca no presente, afinal ele não estava na batalha final, os deuses não o conheciam, mas outras pessoas sim.

Ainur diz que não conhece ninguém com esse nome e os demais confirmam.

O grupo ainda não tem resposta do objetivo final dos tais “jogos”, os portões foram abertos e agora…

O que seria os itens do Tempo Perdido, o cubo visto nas visões?

O tempo volta a andar normalmente e o grupo segue adiante

Zero assume o posto de General ao lado de Volkatz, o Dourado. Katsulee depois de suas aventuras que não correram muito bem volta para sua família por uma temporada. Yves resolve pedir ajuda ao oráculo para saber mais sobre sua família e se tornar um mago mais poderoso nesse meio tempo se afastando de Jacques. Claire questiona Benjamin sobre o que ele irá fazer agora, já que sabe sua história sabe que ela não tem para o que voltar.

Fabregas é oficialmente destituído dos cális, mas não se sabe seu paradeiro. E o item de Lycan não pode encontrá-lo.

Lycan reencontra os quatro sábios que falam que Valiance usou um Feitiço Antigo de Sacrifício para prender o que restava do Sábio das Trevas em sua alma e depois lançou a mesma no Plano das Sombras para que fosse destruída. Eles precisam encontrar alguém destinado a ser o filho da luz para ser um grupo completo.

Seth é convocado para o lugar de Rubi de Fogo no Pentagrama Arcano.

Zephaniah fica com a posse das 5 chaves – as quatro elementais e a de Paikkhan, sendo chamado agora de Guardião da Paikkhan, ao voltar à cidade vê Kamali em seu reflexo na água e boiando na mesma, o machado destruído no Plano do Fogo.

CHAVES ELEMENTAISUma voz fala – não lhe ofereci um desejo como aos outros, mas acho que preciso compensá-los por que os guiou de certa forma as minhas conquistas dos 999 reinos do Plano do Fogo, completas um dia antes do seu retorno.

Jacques descobre por Yves que três de seus negócios tiveram que parar a Estação de Neve e os Dirigíveis pelo desaparecimento da tecnologia e o porto de Ross, por 15 incidentes no total, hoje em dia a própria população agradece, mas acha melhor deixar como está. Fora isso seus feitos o colocaram sob duas escolhas: entrar para o grupo épico, quanto mais agora que é o único com habilidades tecnológicas que ainda funcionam, com exceção de Jarkis, ou se tornar o representante do reino no recém-formado Conselho dos Reinos.

Benjamin/Rainer/Ahstan e Claire recebe o bandolim com as 7 partes para guardar após ele deixar de ser uma chave. Claire aguarda a resposta dele e Noah diz que Valiance sabia dos seus planos e que agora ele passa a ser o líder dos cális entre os cális lhe apresentando Sasaki, a arqueira de 5 anos que está destinada a ocupar o lugar do antigo cális branco, a vaga de cális negro está vaga também.

Nada de Marco De Lucca é mencionado nesse mundo, cada um começa a agir segundo uma linha que se foi cortada há mais ou menos 1 ano atrás e se volta para seus objetivos pessoais.

Quinze anos se passam… Todos eles não dão sinal algum de envelhecimento, Inpergoh está diferente de antes para quem vê e se escondendo dos olhos de todos há outras coisas mudadas. O grupo pode sentir uma estranha aura em seus corpos.

Em Majien abandonada há 15 anos algo sai da fenda no chão… como se fosse cuspido, gira no ar deixando círculos de luzes e cai no chão… Uma adaga.

FIM

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s