Resumo da obra – nº 24

POR LEONARDO “SILVERBOLT” DIAS

Maio se aproxima nessa época boa parte das séries apresentam seus Season/Series Finale, enquanto outras com menor número de episódio iniciam novas jornadas como é o caso de Game of Thrones, que depois de um apanhado sobre suas três primeiras temporadas ganha resenhas semanais nessa sessão se unindo a Supernatural (só semana que vem) e a Marvel – Agents of S.H.I.E.L.D que realmente mostrou a que veio nos últimos dois episódios.

Com spoilers

Resumo da Obra

Game of Thrones 4×01 – Two Swords: Um único problema que sempre apontaram na série foi a grande quantidade de núcleos e personagens, gostei de como eles começaram a resolver isso deixando alguns desses grupos de lado por alguns episódios dando enfoque a outros já na terceira temporada.

Esse episódio mostra o quanto à edição foi favorável ao retornar a Westeros e além para nos revelar como estão às coisas após o Casamento Vermelho e os preparativos para outro casamento de Joffrey e Margaery.

Comecemos por Jaime Lannister, depois de se tornar prisioneiro, perder a mão, quase morrer e voltar para casa, uma boa família acolheria o filho, certo? Os Leões de Westeros não, o pai presenteia o filho com uma das duas espadas forjadas em Aço Valiriano que dá nome ao capítulo, numa comparação pífia, o Vibranium do universo de Martin.

JAIME

Parece um agrado do retorno do filho, mas não é, Tywin Lannister o atual Mão do Rei e por que não se dizer o verdadeiro rei de Porto Real, deseja que o filho volte às terras da família em Rochedo Casterly e assuma o seu lugar como primogênito. Contrariando o patriarca da família, Jaime fala que já descumpriu muitos juramentos, mas pretende continuar na Guarda Real de Westeros cuidando do rei. Sangue nos olhos de Tywin.

Não é diferente com Cersei que também dá um presente ao irmão/amante, uma mão de ouro para repor a que perdeu, um adorno com o intuito de não deixá-lo deformado, porque o desejo que tinha lá no piloto se perdeu entre segredos que só Qyburn sabe, aquele que impediu Jaime de morrer em Harrenhal.

Cersei não tem muito destaque na estreia além dessa cena, assim como Joffrey que só espezinha o tio/pai e seus “feitos” no Livro Branco da Guarda Real, páginas em brancos sem qualquer honra.

Tyrion, o melhor e menor membro da família, atual Mestre da Moeda é escolhido para receber os Martell, convidados do casamento do sobrinho e a família com quem negociou sua sobrinha Myrcella em troca de acordos políticos e dinheiro para a esbanjadora família real. Só que os Martell não gostam dos Lannister nem pintados de ouro, um passado negro que não lembro se foi mencionado antes, entre uma trama tão intricada.

O regente daquelas bandas, Doran Martell não pode vir por ser uma figura doente e mandou o segundo em direito, Oberyn Martell, um personagem e tanto, que mesmo com momentos meio afrescalhados no início, no prostíbulo onde estava ao fugir do comitê de boas vindas com a amante Ellaria Sand, se revela como a verdadeira Víbora Vermelha, sua alcunha ao ser muito “macho” com os Lannister de quinta categoria que estavam no mesmo lugar que ele.

OBERYN

Tyrion consegue não receber punhaladas legítimas, mas sente no ar o desprezo do príncipe que só veio ao casamento para cobrar as dívidas dos Lannister de entregar o Montanha, irmão do Cão de Caça, responsável pela morte de sua irmã e sobrinhos durante a queda dos Targaryen do poder.

Mudando de foco para os Starks, ou o que sobrou deles, Sansa continua a chata de sempre agora com motivos depois da decapitação do pai, do sumiço da irmã, de Winterfell queimada junto com os irmãos (pelo menos para ela e a maioria do elenco), agora teve Robb e Catelyn mortos de uma só vez, alem de vários vassalos do que um dia foi a casa Stark.

Além de Sansa, a única Stark legítima que dá as caras é Arya, num modo meio zumbi ao lado do Cão de Caça, se deparando com um antigo ladrão que matou seu amigo Lommy durante a fuga de Porto Real entre a 1ª e 2ª temporada e lhe roubou Agulha, sua espada.

Arya acaba despistando Cão de Caça e entrando numa taverna dominado por homens do rei que vão realizando saqueamentos em nome da coroa, resultado Polliver, o alvo acaba provocando Cão de Caça, numa das melhores batalhas por galinhas de toda a história, levando todos os soldados a morte e Arya ao momento de vingança ao recuperar sua espada, vingar o amigo e preencher o vazio em seu peito.

ARYA KILL

Jon Snow já está recuperado das flechadas e no meio do comitê do Patrulha da Noite conta todos seus pecados, inclusive sobre a morte de Quorin Meia-Mão e que se deitou com Ygritte, mas o Mestre Aemon consegue deixá-lo viver para aumentar os contingentes contra a batalha contra os selvagens que só cresce com a chegada dos estranhos Thenn, incrivelmente maquiados.

Para fechar o episódio que já preencheu laudas e laudas dessa resenha que é dupla, afinal ainda tenho que falar de MAoS, Daenerys e seu exército, tivemos poucos fatos relevantes, a fúria de Drogon perante a mãe, a mudança de Daario Naharis de um artista atípico, para um qualquer de Westeros sem personalidade e a estrada marcada por escravas mortas. Mas Mareen ainda está longe, a princípio.

Outros núcleos ficaram para os episódios seguintes, no entanto a abertura já revela que o lar do Bolton será cenário da história, voltaremos a ver os traidores e traidores: Roose, Ramsay e Theon Greyjoy. Não sei se isso é bom ou não.

Marvel – Agents of S.H.I.E.L.D 1X17 – Turn, Turn, Turn: Nos comentários do 1×14 durante a invasão do Guest House, coloquei S.H.I.E.L.D vs. S.H.I.E.L.D, mal sabia o que viria com esse episódio. Santa ironia a Skye se tornar membro da organização um episódio antes dela deixar de existir.

LOGO QUEBRADO

Primeiro May era uma espiã, só que servia ao Diretor Fury não ao Clarividente, seu objetivo era reunir uma equipe de contenção e servir de “babá” para o Coulson revivido com DNA alienígena, a revelação coloca o Agente lá no chão, mas com a situação envolvida com o avião descontrolado, Ward sob vigia, Simmons no HUB, Coulson deixa todos trabalhando até segunda ordem.

Logo vemos o Agente Garret sendo perseguidos por drones da S.H.I.E.L.D, revelando que a suposta traição de Victoria Hand é global, derrubando todos os agentes “bonzinhos”, com ajuda de Coulson num modo Han Solo de ser, os drones são destruídos e juntos eles seguem para o HUB para resgatar Simmons e Tripple.

A dupla de agentes tenta descobrir juntos sobre o que havia no sangue de Skye que a trouxe dos mortos, porém o clima de invasão no lugar e na Academia pelo contato com a Doutora no Holobox revelam não ser o momento mais apropriado.

Na primeira virada do episódio descobrimos que Victoria Hand não era uma inimiga da HYDRA descoberta por Skye ao analisar uma mensagem nos canais de comunicação da S.H.I.E.L.D, ao testar Simmons e Tripple, mas desconfia que Coulson seja e que usava sua equipe para fins escusos, por isso a ameaça no final do 1×16.

HYDRA

Avião no HUB, eles usam um laser de Fitz para fugir pelo subterrâneo e conseguem invadir uma sala de comunicações, quando Garret escorrega nas suas falas e revela ser um inimigo, quiçá o Clarividente, não vou dar isso como certo, já que o inimigo parece muito maior que deveria.

GARRET V1

Ward e Skye tem um montado shipper com direito a beijo e convite para jantar, seguido de uma excelente sequência de combate, arquivos do HUB deletados, uma luta secundária acontece na hora que Coulson, May e Fitz estavam por um fio, Garret é detido por Victoria, que revela que a HYDRA tem espiões por todo a S.H.I.E.L.D e que não deveriam confiar em ninguém.

WARD BATTLE CENE

Confirma-se a morte do Diretor Fury anunciada no início do episódio, quando May tenta contatá-lo, e Coulson e Victoria passam a serem os membros “puros” com o maior nível hierárquico.

Garret é levado por Victoria, alguns capangas e um ressentido Ward para a Geladeira, quando a agente ruiva incita o especialista a matar o verdadeiro Clarividente antes de chegar ao destino, armado Ward mata os agentes e Hand, revelando ser um “possível” traidor.

Ainda acho que isso é uma combinação com Coulson para se infiltrar nos inimigos, afinal seu passado com Garret e seu treinamento o deixaria preparado para tortura, como o próprio agente brinca com Skye no meio do episódio.

Adeus S.H.I.E.L.D, mas vida longa aos seus ex-agentes.

Continua em breve.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s