Um novo pergaminho na história de Inpergoh – Palavras carregadas de verdades

POR LEONARDO “SILVERBOLT” DIAS

O grupo finalmente se depara com assim chamados Supremos, os Cinco Deuses criadores do mundo e daqueles que eles chamam de Deuses Maiores e Menores. Descobrem que Farhzeug no passado foi à base dos guias das missões e de dos sábios de Antikhytera, como Lycan. Só que para impedir que os jogos terminassem muito antes da virada dos 100 anos, a cidade foi alterada e só os portais mantidos.

pergaminho RPG

As montanhas que cercam Farhzeug são substituídas por gigantescas árvores, numa delas esculpida.

Reino de Versch – Ano 070 do 5º Ciclo

No meio da Floresta Antiga, Verschillend anda sozinho com Ueija e seu cão de guarda de pelo dourado.

Um garoto de roupas negras e cabelos prateados anda pela floresta com seis homens de mantos brancos.

Silverbolt: — Olá meu amigo. Eu não queria interferir nesse mundo. Mas um dos meus companheiros no passado quis que deixasse uma fonte de energia mágica aqui.

Ele aponta para uma esfera de luz prateada como a lua.

ESFERA DE LUZ PRATEADA

Versch: — Você é uma divindade, é isso?

Silverbolt: — Sim, mas não das que conhece. Esses são os antigos filhos de Ullana. Os sábios de Antikhytera. Já ouviu falar desse lugar.

Versch: — Meu antigo grupo leu sobre esse lugar em alguma de nossas missões.

Silverbolt: — Gostaria que você fizesse parte da construção desse lugar, onde todas as raças tivessem seu espaço. Um recanto no mundo livre para todos.

Versch: — Tem certeza que é o local certo perto de Imansiz, aquele pesadelo?

Silverbolt: — Sim. Sei que agora parece incoerente, mas ter um inimigo bem perto irá cooperar com sua união. Traga os povos para cá, os que conhece e os que conhecerá em breve.

Versch: — Eu aceitarei, porque o objetivo da minha jornada era encontrar um lugar como esse.

Os seis filhos de Antikhytera apontam suas mãos para a fonte e runas surgem na floresta criando os Seis Caminhos Elementais, o Rio Vermelho e a Muralha de Mythral.

RIO VERMELHO

Versch chega com elfos, anões, halflings, meio-elementais, serenges, camaleões e lobisomens.

Seres que parecem formados de luz e magia surgem andando pela floresta. São os MaDons.

Versch, os Sábios e Silverbolt não estão mais ali para responder perguntas, Seth só contesta achando que os MaDons eram mais antigos que o herói, mas com a história das almas reencarnadas os MaDons talvez já existissem, mas se ocultavam dos demais só aparecendo após seu criador dar o comando.

A floresta se desfaz em névoa… Estão dentro de uma casa dessa vez e outra placa parece localizar seu paradeiro atual.

Reino de Maksla – ano 068 do 5º Ciclo

Cinco homens entram numa casa carregando uma pesada caixa.

Um deles: — Aqui está?

Outro homem atrás de uma mesa: — Trouxeram o pacote? Não imaginei que era tão pesado. Não terei problemas?

O mesmo que parece o líder solta à caixa, os outros se esforçam para segurar. — Essas são partes do projeto, mas com os documentos na caixa logo será reduzido.

— Terei problema com os cientistas?

— Eles não têm nem reino próprio. Suas leis só funcionam dentro de um pequeno território. E roubamos outros projetos como defesa, se fossem expostos. O Conselho dos Reinos iria prendê-los em La Sante ou num lugar melhor sob os olhos dos Rubra.

— Esse projeto vai valer o meu investimento. Esses cientistas criam as coisas e ocultam.

O homem anda até a caixa que é colocada no chão e tira várias peças.

Algum tempo depois ele é elogiado numa galeria com várias imagens. Algo zune no ar e o mesmo homem cai no chão. No alto do prédio o homem que vendeu o pacote fala por um rádio. — O alvo eliminado.

ZARABATANA

Do outro lado do rádio um homem tem várias caixas iguais.

— Um dos alvos caiu na armadilha e antes que descobrisse algo demos cabo dele. Marco De Luca está sentado na sala — Tudo perfeito para a nossa tecnologia enche os olhos das pessoas certas.

O grupo agora está ao lado de quem procurava.

Jack: — O que foi isso? Apontando seu arcabuz para ele.

Marco De Luca: — Ainda não entendeu que se dependesse só da aliança entre vocês, o Inimigo teria vencido e não estariam atravessando os portões. Dei o meu jeito, me ocultei dos olhos dos deuses e participei efetivamente para que isso acabasse e pudesse chegar aonde quero.

Seth: — O que deseja?

Marco De Luca: — O que todo humano ambicioso deseja, poder e evolução.

Ahstan: — E a raça que mencionaram que está criando.

Marco De Luca: — Sou um cientista por natureza, só quero brincar de Deus, e ela está longe da perfeição, um pequeno preço pelo que fiz. Venci, mas sem os louros os Jogos dos Deuses.

Ele fica borrado e tudo escuro a volta do grupo… outro cenário começa a se formar, o próximo portão.

Continua além dos portões.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s