Recortes

POR LEONARDO “SILVERBOLT” DIAS

Na correria de sempre o Fall Season começou e o VVE não tem se manifestado quando o assunto é série. Em algumas até consegui me atualizar ou quase (falta 1 episódio), só que resolvi fazer algo diferente para começar e quando tiver tudo estabilizado, em breve, assim espero volto a comentar das séries em questão em sessões como REContando ou Resumo da obra.

Com spoilers

Recortes

Depois da minha tristeza com Dexter, das pausas prolongadas de True Blood e Game of Thrones e da temporada final de The Office, das séries que estava assistindo restaram Supernatural que vou fazer um review dos primeiros episódios separadamente e American Horror Story, agora com o subtítulo Coven que aqui costumo chamar de AHS para ganhar caracteres.

American Horror Story (AHS): A série retornou com uma nova temporada do zero como sempre faz, mantendo só parte do elenco que mistura figuras da 1ª e 2ª temporada. A protagonista jovem Zoe, por exemplo, é Taissa Farmiga, a Violet de AHS: Murder House.

american-horror-story-coven

Achei que no quesito susto ou desenvolvimento da trama, essa foi a Season Premiere mais leve, o que não tira o mérito da história afinal tem de ser muito corajoso para matar dois personagens dos créditos principais em 40 minutos de duração.

Muito se questionou se essa mistura de X-Men + Hogwarts da Academia de Bruxaria não derrubaria o conceito que a série tinha nas duas primeiras temporadas. Acho que o enfoque no presente das bruxas só dando vislumbres do passado, como foi à primeira temporada, funcionou muito bem na Premiere.

E para dar aquele gostinho de quero mais a cena final mostra que teremos sim um encontro de gerações e quem sabe a semente para o retorno de Lily Rabe e Evan Peters.

Revolution: Cumpri minha promessa mesmo falando muito mal de Revolution em sua 1ª temporada de assistir o 2×01 e ver no que dava.  A energia não retornou ao planeta, o “acender das luzes” durou só 4 minutos suficiente para que as bombas atingissem os maiores inimigos do misterioso Governo Americano que estava exilado em Cuba, outra cena do Season Finale passado.

Revolution Season 2

Acabaram as milícias e pelo que entendi os Revolucionários, há um acampamento onde estão os sobreviventes das bombas, incluindo o irreconhecível Neville e seu filho Jason. Os mocinhos que resistiram a 1ª temporada agora estão divididos em dois grupos: Miles, Rachel e Aaron estão vivendo sob a tutela do pai da loira numa cidade fechada com gigantescos portões e Charlie está longe numa caçada pessoal a Monroe.

O que mostra um novo salto de tempo de seis meses dos eventos passados no Season Finale e tivemos pouquíssimas explicações de fatos daquele momento e de agora. Miles queimando uma barraca (não explicado até agora), os computadores da Torre entrando em pane segundos antes de Aaron conseguir cancelar os lançamentos dos mísseis e o blackout que permitiram que fugissem de Neville e Jason.

Nada disso salvou a série e até os minutos finais, quando já pensava esse é o último episódio que vou ver e pronto, do nada Aaron que tinha levado uma espadada no peito durante a invasão da cidade abre os olhos num momento Lost feelings e ressuscita.

E aí eu continuo assistindo ele volta com o ferimento regenerado e a explicação até o momento é que a nanotecnologia o curou, a pergunta é como e por quê? Somado a isso temos uma estrada cheia de ratos mortos? Pausa aí, o que Revolution se tornou, quando terminou a temporada passada achei que essa história de Presidente só ia piorar o que não estava bem das pernas, agora amarraram minha curiosidade e vou continuar me torturando e assistindo até saber para onde iremos.

Marvel – Agents of SHIELD: A série derivada do universo dos filmes dos Vingadores. Em questão de efeitos especiais que era o mais perigoso na migração do cinema para TV a série tem dado banho em muitas da concorrência, os episódios até o momento com casos semanais tem funcionado muito bem, os personagens são carismáticos ou cumprem o seu papel. Joss Whedon realmente é o senhor das séries de ficção e não é a toa que Buffy e Angel fizeram tantos sucessos e aquelas que não duraram tanto não foi por culpa dele e sim da FOX que nunca soube tratar bem suas séries Sci Fi.

Marvel – Agents of SHIELD

Na internet muita gente critica a série, que não é o que esperavam, o que seria que os Vingadores apareceressem nos episódios e a série falissem por falta de fundos para pagar os altos salários principalmente se tivesse um Downey Jr. no meio. Esses argumentos, ou melhor, falta deles, não me convenceram.

O meu olhar sobre a série nos 3 episódios que vi até o momento é que como ela já tem uma mitologia pronta, a da Marvel. Falta uma mitologia da série que as ficções precisam para ser mais do que casos semanais.

Acredito que os ganchos deixados até agora: o que aconteceu de falto com Coulson, a Maré Crescente, os outros usuários testes da Centopéia, a união do cientista ao Gráviton podem render exatamente nesse ponto.

Recomendo Marvel e AHS e se tiverem coragem ou tempo, muito mais do primeiro item que do segundo podem embarcar em Revolution, pelo menos algo que condeno nos mangás que leio não falha aos roteiristas da série, medo de matar seus personagens.

Boas séries e até a próxima

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s