Um novo pergaminho na história de Inpergoh – Carta com gotas de sangue

POR LEONARDO “SILVERBOLT” DIAS

Ahstan e Seth sabem que a jornada pelo Plano da Terra dependeu muito das habilidades de Zephaniah que continua seguindo com os dois e os dragões agora representados por Bresinger. Claire também os acompanha e sozinho Jacques resolve investigar essa passagem de tempo que não sentiu do lado de fora.

pergaminho RPG

Em Paikkhan – Plano do Ar

O grupo definido irá para outra caverna e surgirá caindo de uma área livre com um grande céu azul com nuvens brancas em constante movimento.

Quando param e começam a flutuar. Da Chave de Paikkhan voam cinco folhas para direções diferentes.

Ahstan vê um casebre, aquele de que caiu durante uma de suas visões.  Dentro dele um baú, que se abre com uma forte rajada de ar e dentro dele cinco bastões de cristal em forma de tochas.

Ele sabe para onde ir, mas não é na direção das 5 folhas. Bresinger e Claire dirão para que ele siga naquela direção primeiro, depois de algum tempo voando chegam a uma rocha flutuante de tamanho circular com a casa de pedra em forma de oca.

Dentro dela há desenhos feitos por crianças. Dois retratos de homens que Zephaniah reconheceria agora com os sábios antigos da Terra e do Ar, que ensinaram o Ritual de Fragmentação da Alma.

Numa parede cinco símbolos: uma chama, um cristal de gelo, uma rocha, um esfera de duas cores e um raio.

Fora isso está o baú ao se aproximar a rajada de vento o abre e revelam as cinco tochas de cristais. Ahstan vê esferas feitas de algo quase transparente sobre as mesmas. Explosões, sangue, pessoas voando para longe e algo batendo asas, uma sombra e desperta de uma visão.

TOCHAS DE CRISTAIS

Parece que as folhas levam aos próximos caminhos. As tochas têm os mesmos símbolos da parede esculpidas, ao tocar naquela com o cabo com um relâmpago, eletricidade passará por sua espada e o cabo da mesma ficará dourado com no futuro que viram.

Fora de Paikkhan

Lycan continua sua jornada para tentar entender a origem de Marlene, Maisa, Miryan, Maryan, Henrique, Dracal, Selyne e sua mãe salva por Agaren.

Ele pode pedir ajuda aos sábios que dirão que não interferiram em suas ações, por que sendo um ex-aliado que voltou a ser aliado ele pode interferir, contradizendo as regras dos sábios.

Os mesmos ensinam como funcionam o Manto, o Bastão e o pedaço de pergaminho para Lycan, de modo tradicional.

E falam que a cena que viu antes representa o nascimento dos primeiros sábios. Todos já falecidos, Agaren era o último Original.

“Tais sábios foram criados por Ullana e Kiuni a pedido dos Supremos. E antes mesmo do que conhecemos como Ciclos. Num experimento que só Agaren conhecia.

Os sétimos filhos são descendentes diretos da 7ª criança ligados à natureza, mas não a um elemento em específico, sem poderes ligados a planos, ou a genética, algo maior que isso, por isso os Sétimos Filhos também são chamados de Naturais. Todos descendem naturalmente da deusa e de Paikkhan, a cidade sagrada, com exceção de Marlene que na verdade nasceu da interferência de Agaren a um evento que não deveria ocorrer daquela maneira, uma “Contradição às regras e ao pergaminho”.

Tais seres tem poderes elementares latentes, sob elementos como fogo, água (gelo), terra, ar (eletricidade) e trevas.  Não há um representante da luz, por que diferente dos outros sábios Agaren era Original, pelo menos assim entendemos.

E não havia uma das trevas reencarnado até que a Batalha acontece e os vencedores fossem definidos”.

FILHOS DA NATUREZA

Em Paikkhan – Plano do Ar

Seguindo em direção as folhas douradas Ahstan se vê na oca de pedra conversando com alguém de manto, não dá para ver seu rosto.

AR: — Os sábios acham que a melhor escolha a fazer quando crescer é procurar Kallohime, o dragão púrpura que veio de outro mundo. Para encontrá-lo pessoalmente é necessário cumprir dois requisitos. O mais simples é se tornar parte de uma organização conhecida como cális. O que acha Rainer?

Rainer: — Rainer é… por que me chama assim?

AR: —  Era o nome do antigo sábio e passou a ser o seu já que sua alma renasceu aqui, mas sem quem seus pais tivessem tempo de batizá-lo antes de partir.

Rainer: — Gostei.

AR: — Precisa sair de Paikkhan por ora e ver o mundo quem sabe libera memórias antigas que vão te ajudar a se desenvolver como pessoa e despertar seus poderes.

Ao sair da oca, Gilan o espera.

Gilan: — Vejo que irá partir para o Mundo dos Humanos, Inpergoh, é sua primeira vez nesse ciclo lá, não é?

Rainer: — Sim. Alguma recomendação.

Gilan: — Não sou bom com esse tipo de coisa. Mas te darei um presente. (Amarrando um pingente de cristal de gelo em Ahstan). – Boa sorte irmãozinho.

Rainer salta da oca em queda livre e um raio cai no meio do reino de Tiakong, dele sai Rainer/Ahstan.

Algum tempo depois

Ele corre com alguém e lê uma carta no seu bolso. “Olá. Sou Setsu e logo os cális terão uma nova vaga, a venderei a você. Ao custo de muito sangue e de um segredo entre nós. Ao Senhor Rainer, o segundo, espero que entenda meus motivos e fique calado.  Para isso, você deve vir a Shihaku. Procure por um muro com um desenho de dragão e tochas com chamas coloridas, o cális verde deverá estar na frente do muro. Boa viagem futuro companheiro.”

MURO COM DESENHO DE DRAGÃO

Ahstan começa a ligar o que vê a carta molhada em seu bolso quando despertou na praia e conheceu Claire. No Plano do Ar estava o seu passado perdido assim como o de Zephaniah no Plano da Terra.

“Parece que Claire previu isso quando me pediu para continuar na busca da próxima chave”.

Continua nos próximos pergaminhos

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s