RPG online – Fim da Jornada (por enquanto)

POR LEONARDO “SILVERBOLT” DIAS

Chegamos ao momento derradeiro do resumo da minha primeira aventura online, com a entrada do último jogador fixo após o encerramento do aviso de vagas.

FIM DA JORNADA

Com a casa arrumada, seis jogadores fixos: Lougan, Dani, Maisa, Henrique, Deives e Rafael e as últimas participações de Mayko Gonçalves, com o seu Taulin, que tinha começado sua trama pessoal ligada um machado que carregava e era do seu avô. Seguido de despedidas forçadas, resolvi que era o momento de fechar a sala para novos jogadores.

Uma semana depois desse novo cenário entra na sala alguém que parecia ser apenas um curioso, conhecido como Matarazo, mas de nome Leonardo, meu xará, gostei tanto do tipo de abordagem que ele teve, mostrando curiosidade por certos pontos da trama que não foram questionados pelos jogadores da sala que resolvi fazer um convite especial e oferecer uma vaga mesmo com a sala “sem vagas”.

De início Matarazo não aceitou a proposta, só que Henrique que sempre adorava provocar os demais o “desafiou” a criar um personagem que derrotava o seu guerreiro/ferreiro de alto nível. Matarazo tomou o desafio para si e no mesmo dia de noite resolveu montar um personagem.

O jogador queria fazer um personagem que pudesse ser Dançarina do Luar – uma classe do sistema voltada para personagens femininos, bem próxima da classe bardo – só que com um personagem masculino.

DANÇARINA DO LUAR

Escrevendo uma história onde na verdade seu corpo era o receptáculo de dois espíritos de irmãos gêmeos – Luna (a garota) e Pengikut (o rapaz) e criou um histórico que amarrasse tudo isso, por falha minha ele envolvia deuses Sol e Lua que não tinham no mundo.

O que parecia ser um problema para desenvolver seu plot serviu para usar uma antiga história de uma campanha de SIF de que certa forma originou o mundo que eu criei com meus jogadores: Inpergoh.

Trama essa que nem pretendia usar, mas encaixou diretinho, já que o vilão dessa campanha era o Deus Sol e um dos seus irmãos, um Deus Original, tinha entre um dos seus nomes meu nick no 2ic, Silverbolt e já tinha usado outros codinomes se identificando como um possível Deus da Lua.

Cenário armado, Pengikut foi introduzido na aventura à parte procurando sobre as memórias apagadas do mundo e descobrindo a conexão de objetos conhecidos como Chaves que abririam o chamado Portão das Memórias Perdidas com a origem do corpo de Luna.

Já que as almas dividiam os corpos, mas na verdade na criação havia um corpo de Luna preso no lugar onde estaria a última chave – a Pirâmide dos Espíritos da Lua, juntamente com a essência de dois Deuses Antigos: Luminaire (o Deus Sol) e Mothan Joefhi (o Deus da Morte).

DEUS SOL

A trama de Pengikut logo se unia com o grupo e seguia seu rumo no arco 6 que fechava a história de Juan Stark e Pengikut/Luna Bulan. Os últimos dois jogadores a entrar na campanha.

Os heróis abriram os portões em sua versão da história, lembrando que a mesma acontecia num universo alternativo, 200 anos da aventura que conto na sessão “Um novo pergaminho na história de Inpergoh”, por conta disso e como estou dando mais detalhes daquela trama vou deixar para contar o final em outra sessão.

Continuo contando o final dos personagens e o planejamento da segunda campanha em paralelo com outros assuntos correlacionados.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s