REContando nº 3

POR LEONARDO “SILVERBOLT” DIAS

Depois de muito tempo desde ano passado com o resumo dos primeiros episódios da temporada da encerrada Desperate Housewives, é hora de usar uma sessão de resumos de temporadas ou partes delas.

Essa aqui cobrirá os episódios 1×11 a 1×20 de Revolution. Sim a série que comentei na matéria “Jogadas de risco”, por que não falar de Revolution semanalmente como fiz com The Office e Supernatural, dentre outras? Responderei isso logo logo. E saiba que a pergunta que fiz antes de dar spoilers da outra vez já tem resposta, Revolution continua numa 2ª temporada, esse mistério e outros tantos foram respondidos, a nova pergunta, a troco de quê?

REVOLUTION

 Com spoilers

Pegando em pontos que toquei no início da matéria já mencionada. Logo no episódio 1×11, a série nos explicou o motivo para a “energia” de modo geral se desligar, e a meu ver o motivo foi convincente dentro da temática apresentada e satisfatório. Nanotecnologia era a resposta.

Máquinas chamados nanites foram usadas como uma arma de guerra para parar as fontes de energia do inimigo e vencer uma guerra sem necessidade de retaliação do inimigo, se pensado estrategicamente, poderia evitar muitas mortes com tal arma, só que ela não estava pronta e mesmo assim Randal Flinn que já tinha aparecido na série e era um dos líderes do projeto, numa vingança pífia, típica das explicações que a série conseguia dar das motivações dos personagens, resolve usar os nanites assim mesmo.

NANITES

Resultado não só o país em questão teve a energia desligada como toda a Terra. Os microrobôs tinham dois comandos simples: replicar e drenar energia, o primeiro se alterou a ponto de replicar além do esperado e drenar toda a energia, seja luz, bateria e etc. O que explicaria que caso ela fosse gerada de novo eles poderiam fazer o mesmo, e um delay de 15 anos sem novas tecnologias parecia ter sentido. Só que aí vêm duas falhas nessa teoria. É importante ressaltá-la por que o princípio da série começou a se modificar a partir disso.

Primeiro os pingentes, 12 deles eram uma espécie de backup de um minigerador que poderia ter seu alcance ampliado com aparelho amplificadores, até aqui ok. Na verdade eles não eram indestrutíveis, eram capas de material resistente para pendrives, e os mesmos podiam ser derretidos com ácido sulfúrico como foi feito mais a frente na série e o que parecia ser a grande saída para religar a energia, caiu por Terra, 2 ou 3 episódios depois de ser mencionados. Aí vem a segunda teoria os nanites não podiam automaticamente sugar essa energia gerada, por que se eles estavam em qualquer lugar, seria muito fácil absorvê-la e fazer os tais helicópteros e drones caírem do céu como meteoros? Estou certo, a princípio sim, e nada na série prova o contrário.

O segundo ponto é “como os nanites se reproduziram tão rápido” ao ponto de algo lançado no Oriente Médio desligar a luz nos EUA praticamente no mesmo minuto? Sei que toda série tem falhas, mas como essa “era” a força motriz da série, tenho que começar reclamando disso antes de cobrir o resto. E que resto? Como a palavra mesmo fala.

Voltando a história. Mencionei brevemente a queda do governo Norte-Americano para formar os territórios da série: A República de Monroe (o principal), já que Monroe é a princípio o vilão da série; a Georgia, território mais rico com “tecnologia” a vapor e como presidenta, ao invés da Dilma, a mulher do Jack Bauer; a Nação das Planícies e o seu barbarismo por comida, deve ser o único lugar na série que diamantes não compram qualquer coisa, o que também não entendo qual a diferença de diamante, para dinheiro ou ouro num lugar sem economia propriamente dita e por último o temível Texas, sem qualquer lei.

MAPA DOS TERRITÓRIOS DE REVOLUTION

Esses territórios ganham cores e mais espaço nesses episódios, a troco de que não sabia até o plot twist sem pé nem cabeça para a 2ª temporada que trabalha exatamente com a ideia de “governo norte-americano”, mas chego lá daqui a pouco.

Respondendo as questões que fiz ao final da outra matéria, Tracy melhorou um cadinho como atriz, só um pouco mesmo; Rachel ainda não morreu e continua cada vez mais chata e Miles não teve bagos e Bass também continua na segunda temporada. Em compensação muito gente se despediu da série entre principais e secundários.

Primeiro depois do episódio 1×10, Rachel resolve ir atrás de armas para lutar contra a República Monroe e abandona os filhos logo depois de encontrá-los.  Danny que ficou só preso por todos os episódios da primeira parte da temporada, resolve ser o macho alfa, por mais que seu perfil não ajuda e pega em armas, resultado para derrubar um helicóptero que ataca, ele maneja um lança mísseis, como se fosse à coisa mais fácil do mundo e… quando o helicóptero cai, o metralha, e ele depois de 10 capítulos para ser resgatado morre no episódio seguinte.

DANNY METRALHADO GIF

Com Danny morto a motivação de todo mundo passa a ser vingança contra Monroe. No meio disso tudo temos Jason virando casaca depois do pai querer matar todo mundo, seja mulher ou crianças dos rebeldes com as máquinas que Randal, detalhe importante esse, resolve entregar de mão beijada para Monroe. Deixando Grace e o seu segurança sozinhos na Torre.

A traição de Jason custa caro para Tom Neville que primeiro mente sobre sua suposta morte ao general, aí quando vai comprar uma bomba atômica – isso mesmo que leu – tem seu carro atacado, é preso, torturado, mata um personagem dos rebeldes que era Padre a sangue frio, foge, pega a mulher e vira casaca começando a trabalhar para a Georgia.

Nesse tempo todos trabalhavam para a Georgia, Miles já era um General com o exército dos outros numa associação com o time principal + Georgia + Rebeldes x Monroe. Com Tom, Jason, Charlie, Rachel e Miles tendo de trabalhar lado a lado.

Até que os grupos se dividem e Rachel com a ajuda de Aaron resolvem que a melhor ideia é religar a energia, visitando a tal Torre e vão sozinhos sem qualquer pessoa como segurança para o local.  Quase são queimados vivos, precisam roubar comida na Nação das Planícies, Rachel desloca o osso da perna e é curada, com a ideia de última hora do roteiro que além de curar a doença regenerativa de Danny e o câncer da “mulher” da Dra. Warren, aquela que tinha a Biblia sobre a Torre, podia restauras ossos num modo fantasia mesmo a cena.

Regeneração dos nanites

Os dois chegam a Torre e aí todos já sabem do lugar e estão lá também. A partir daí é tanta confusão e troca de lado que vou falar só dos finalmente. Miles, Rachel, Charlie e Aaron conseguem chegar ao famoso Nível 12 da Torre e religam a energia. Ventiladores, rádios funcionam automaticamente com o religamento e a presidenta da Georgia só prepara o ataque à República de Monroe com as armas que tem.

Power is back

Bass foge do próprio exército depois de Miles confirmar sua homossexualidade, digo, seu amor pelo brother, que não permite que ele o mate. Exército esse tomado pelo sempre canastrão Tom e seu filho Jason, de acessório. Que estão na cara do gol, mas devido à pontaria assombrosa de Miles tem soldados mortos como patos de madeira. Isso somado ao efeito vingativo pela morte de Nora – a morenaça gostosa McGyver da série e mais um sacrifício no caminho de Revolution.

Os protetores da Torre morrem todos com exceção de Grace e não conseguem exercer sua função, Glenn Morshower, o Aaron de 24 Horas é desperdiçado no elenco como também foi como Mark Pellegrino e outros que passaram brevemente pela série.

E no plot twist do ano nós vemos relâmpagos que parecem ser efeitos do religamento de energia numa área onde Monroe fugia, seguido de uma cena onde Randal que escapou do massacre e tinha pegado um keycard que possibilita lançar misseis atrás de um quadro – ao invés de estar num cofre ou algo mais seguro, independente da Torre ter toda aquela segurança e o mesmo lança misseis contra aqueles que ele chama de inimigo da América e se suicida, falando ser um patriota… pausa antes da cena final.

Foi o próprio Randal que saiu da segurança da Torre e ofereceu armas perigosas, a quem ele chamava de inimigo da América, para que? Destruir o outro inimigo? E depois, morrer ou como ele sozinho ia deter o exército de Monroe com seu corpo raquítico? Aí Monroe o trouxe a Torre e o ajudou a chegar ao Nível 12, mas Grace já fazia isso, então por que não esperar ali no conforto do lar.

Ele sabia que tinha os guardiões e precisava de buchas de canhão, seria uma explicação lógica, não poderia ter escolhido buchas com nível de perigo menor, se ele sabia do cartão, deveria saber das armas no nível 11 e seu segurança poderia estar melhor armado quando desceu e morreu sinistramente, para o que parecia até um monstro, trama que seria sem pé nem cabeça, mas muito mais promissora Assim como religar a energia chamar aliens, ou abrir um portal , sei lá.

Só que o efeito é uma ligação para o presidente dos EUA, isolado em Cuba por 15 anos que agora que tem controle da Torre, ou seus inimigos mortos (ou assim achamos) já que os misseis não atingiram seus alvos. Como essa cena pode levar a uma nova temporada do zero? Qual será o embate? A importância do EUA ter ou não um presidente?  O controle da Torre? Sair matando todo mundo. E Miles e Cia onde entra nisso?

Mr. President

Rachel e Bass vão finalmente morrer? Eu gostaria muito.  Vou ver o Season Premiere da 2ª temporada e decidir se continuo acompanhado essa trama esculachada ou se guardo para ver quando tiver mais tempo como fiz com outras séries há pouco tempo.

Até a próxima

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s