RPG online – NPCs e jogadores “vêm e voltam”

POR LEONARDO “SILVERBOLT” DIAS

Na matéria de hoje continua a narrativa da primeira aventura online que mestrei com todos os problemas que foram surgindo durante a jornada e a introdução de Adelaide, NPC que ligaria os principais fatos e personagens.

RPG online vai e volta

Aprendi algo com as três últimas aventuras longas que mestrei, duas de mesa e uma online, essa que comento aqui, que os NPCs precisam ser limitados por dois motivos. Em demasia eles ao invés de ajudar atrapalhavam a aventura, causando uma lentidão em certas situações, tendo de resolver problemas que deveriam ser do grupo.

Outro caso é colocar NPC para exercer funções que faltam no grupo e são de extrema necessidade em aventuras envolvendo investigação de masmorras: como ladinos e clérigos. Não sou só eu que penso assim, na aventura que comecei a jogar recentemente meu parceiro de blog “Robert” também partiu desse princípio de criar NPCs que suprimem as ausências do grupo de jogadores.

Tela cheia

Adelaide não era nem um NPC nem outro. Ela era um fio condutor de ação, um guia como o plot da aventura chamava, que conduzia o grupo ao objetivo principal que andava atrasado pelo troca troca de jogadores. O ponto de partida da trama dependia do grupo chegar ao Centro de Inpergoh que dava nome a aventura e até agora ninguém tinha passado nem perto.

Era ora de começar o restart – Lougan passou a ser primeira peça que ligaria os personagens jogadores de volta a trama principal e distante dele por algumas aventuras iniciava a história de Morgana (jogadora Dani), Karsten (Felipe – que joga RPG de mesa comigo até hoje) e Dario (Luesley) do qual já contei de sua curta participação em outra matéria.

Faris o npc aliado de Gorgov se afastava da aventura com o mago e numa só dungeon consegui juntar os personagens remasnecentes. Com praticamente dois a três jogadores fixos só, novamente abri espaços para novos jogadores.  O primeiro que veio nessa leva foi Heath (jogador Yooko) e o segundo foi Jack (jogador Ryuu). Novamente via grandes promessas nas suas interpretações, o único problema era juntar suas atuais histórias a principal quando passassem pelo crivo da aprovação.

Praticamente junto a Heath e Jack chegou Rin que é outro que continua jogando comigo, mesmo depois de tomar certas atitudes que condeno ao máximo, faltar sem justificar ou ficar entrando e saindo da sala a todo o momento e perguntando o que aconteceu. Quando a net é a culpada, ok, mas quando a pessoa faz isso para passar em outra sala, ou jogar em duas no mesmo horário eu acho uma grande sacanagem.

Expulsão

Lougan por um bom tempo jogava em outra sala num dos dias que tinha sessão, mas eu coordenava sua história por pvt, por ele a princípio pensou que as aventuras seriam terça e quinta e não de terça a quinta. E tinha marcado compromisso na quarta. Não iria obrigá-lo a sair do outro grupo e perder um jogador compromissado.

De todos esses que chegaram Karsten (Felipe) foi o primeiro a abandonar o jogo online, como disse em RPG de mesa ele me acompanha até hoje, atualmente jogando o meu playtest de regras e uma aventura do “Robert”. Só que na parte online o horário tardio somado com um serviço que ele havia começado o afastaram do grupo.

Jack e Heath quando suas histórias estavam prestes a se conectar a do grupo tomaram o chá de sumiço muito consumido pelos usuários do 2ic. Rin foi desaparecendo, voltando mais tarde e levou o cartão vermelho pelo que falei acima. Ganhando uma nova chance na minha atual aventura.

chá de sumiço

Nessa maré de entra e sai surgiu Azahak (Jogador: Henrikebmelo) que fez um ranger, só que queria que todas as aventuras fossem na floresta, por que duas aventuras depois reclamando que não tinha nada no cenário do qual era especializado também saiu da aventura.

Cheguei à aventura 28 da campanha e no grupo só permaneciam Lougan e Morgana, que concluíram a história e foi nesse momento que Brian (Jogador Bpiaza) fez seu breve retorno.

Abrindo a penúltima seleção de fichas da sala chegaram Kaydan (jogador: Displayed), LL (jogadora Hai hai) e Maisa (jogadora Maisa). A aventura já acontecia dentro de uma fortaleza, onde as meninas como uma dupla e o Kaydan individualmente surgiam para realizar outras missões no mesmo lugar.

Hai Hai é uma jogadora pertencente ao ciclo dos desaparecidos que retornam e sumiam definitivo, Maisa fez sua primeira participação, voltando um pouco à frente e ficando praticamente até o final. Evoluindo muito como jogadora na parte interpretativa, talvez devendo um pouco na parte de aprender as regras do sistema.

Kaydan é um caso a parte, um jogador de altíssimo nível como outro que surgiria mais tarde, só que não gostava de jogar com pessoas que não “sabiam interpretar” ou “separar conhecimento do jogador do personagem”, o que chamo junto aos meus colegas carinhosamente de “Iluminar”.

Sua irritação com essa atitude que muitos jogadores têm e como já era difícil separar o joio do trigo na parte de compromisso, falta e etc, ainda mais selecionando pessoas que não tivessem um “pouco” desse anti-jogo. Kaydan pulou fora, foi uma grande baixa, mas que me deixou com muita raiva pelo seu discurso.

 DisplayeD:

Mestre vou te falar bem a verdade…

Achei sua mestragem muito boa. Principalmente se compararmos às aberrações que vejo por aí. Só que… Seus jogadores não têm a mínima noção de interpretação.

Eles levam conhecimento de off game diretamente pro jogo de forma leviana, agem devaneiadamente, sem atentar à descrição que puseram na ficha.

Eu, sinceramente, me recuso a jogar em um grupo dessa forma. A única que se salva naquele grupo todo é a Dani.

Peço perdão, e até queria jogar com você como narrador.

Cheguei à aventura 32 quando Gorgov (jogador Info) resolveu voltar do limbo, mas sua segunda participação foi curta de uma aventura.

Resultado na aventura 33 só estava Lougan e Morgana de novo e eu prestes a desistir por que mais de 20 pessoas tinham passado pela sala e a aventura não conseguia andar, já que tinha que se preocupar com outros jogadores novos em pvt, se os colocava no grupo principal ou não, como fazer? Perguntas essas que atrapalhavam o desenvolvimento.

Só que aí a semente de um grupo de fato começou a nascer a partir da aventura 34. Continuo em breve os relatos.

Sombras

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s