RPG – Hora dos testes – parte 05

POR LEONARDO “SILVERBOLT” DIAS

Mesmo com todos os problemas das primeiras batalhas mano a mano, devido aos cenários que se criaram eu repeti alguns testes com classes de guerra e neutra para finalizar a primeira parte do playtest.

Hora do teste 05

Esses testes finais iriam cobrir a primeira regra de pvs, habilidades de atributos primários, regras de combate nº 1 (vou explicar mais a frente às chamadas regras nº2 que só passaram a ser testadas na parte 03 do playtest), perícias e manobras de também na regra nº 1 (outra que ainda não mencionei a nº2), nova regra de iniciativa – nem tão nova assim, mas se adequando a parte dos tecidos. Em combates entre classes de guerra x guerra, guerra x neutra e neutra x neutra, em grupos de 3.

A maior parte das regras usadas eu expliquei na matéria: RPG – Hora do teste – parte 04 (link).

Combate 3 – Guerreiro Anão x Ranger Humano x Lobisomem Escudeiro

A sensação é já vi isso em algum lugar e não é à toa, esse é um repeteco da batalha nº1, com um agravante o ranger podendo usar seu mascote, mas só se afastando o suficiente sem poder fugir; o lobisomem com a segunda fúria a ser testada, na verdade a velha Fúria (dobro de ataque e dano que já usava na 5ª edição só que aqui com o número menor de ataques) e o anão como ainda era o primeiro dia de playtest o máximo que podia fazer com o anão é liberar suas habilidades de raça e classe, que ele tinha 1/dia.

Mesmo com a fúria mais controlada e a mascote como trunfo, a regra de não fugir deixou o ranger amarrado um pouco e logo na parte 2, o mascote deve recebeu regras equilibradas para monstros que ainda não tinha sido adaptado após alteração nos limites de atributo/perícias.

Num confronto direto entre lobisomem e anão, o escudeiro conseguiu derrubar o anão com sua fúria alterada e o ranger numa posição neutra perdeu na contagem final de tempo.

Lobisome

Combate 4 – Paladino Halfling x Ladino Camaleão x Padre Meio-Elemental da Luz

Combatentes novos na arena, ou melhor, um combate entre não combatentes, como falei à ideia que as classes neutras agora não sejam um “Bombril” da vida e sim personagens que dão suporte aos companheiros quando a necessidade, mas equilibrado em alguns pontos como cura e resistência em detrimento de habilidades de combate, quanto mais em nível baixo.

A batalha aqui era tão neutra e com possibilidades a ser criadas que os três tinham até a mesma vida, 14 PVs, lembrando que com a regra de PVs nº 1, eles morreriam com -7.

O paladino não utilizou sua vantagem a “cura” nessa batalha, seguindo só com seu cajado e escudo para se defender, a sorte não estava do seu lado e quando se aproximava do combate de fato acabava se tornando alvo fácil do ladino e do padre. Preso duas vezes pela boleadeira do inimigo e ficando sem poder se movimentar.

Boleadeira

O padre ainda sem poderes divinos também só contava a benção para aumentar o seu valor de teste e anular seu penalisador de Força 3 e atacava com a maça estrela. O ladino mesmo com uma só boleadeira, conseguia prender os inimigos, pegar sua arma de volta quando o ataque falhava, usando sua Agilidade alta e usar seus ataques pelas costas quando criava áreas para isso. Foi o que o levou a vitória com 3 PVs dos 14.

Combate 5 – Paladino Halfling x Lobisomem Escudeiro x Padre Meio Elemental da Luz

Um resultado previsível era de se esperar depois de tudo que falei ali em cima, então pasmem, mas o vitorioso aqui foi o padre.  Numa batalha com dois níveis a mais, a fúria do lobisomem com regras que aumentavam sua força para efeito de dano, a terceira regra só no playtest 3 o deixaram um alvo fácil para o Disparo de Luz do Padre, um poder infinito que causava 5d6 de dano.

Rajada de luz

Foi bom para nivelar o poder, colocando limite, diminuindo o dano em nível baixo, por que não podia com apenas dois níveis transformar o padre de classe de suporte para o algoz da batalha.

As novas regras favoreciam a conjuração do poder x Rm baixo de ambos os alvos, por que o paladino tinha enfoque em Carisma e seu poder só permitia um deslocamento entre lugares com água, algo bem específico.

Vitória do padre com ajudadas regras, que aqui diferente do que o Arnaldo fala “estavam longe de ser claras”.

Resultados

Reclamações a parte da fúria do lobisomem que mudava a cada luta, lembrando que aqui a vitória do personagem que você controla é o menor dos males, vale é ver se a regra funciona ou não, sua falha e for corrigindo, é por isso que ao final de cada playtest eu mandava relatórios de tudo que eu fui vendo e alterando e pedia ajuda os 3 ou 4 jogadores para resolver a questão.

Ranger com a mascote arrumada diminui um pouco o seu poder de fogo, mas algumas coisas ainda não chegaram a um consenso.  O anão melhorou um pouco principalmente na questão de dano na progressão perdendo a fraqueza do que deveria ser o símbolo do personagem de guerra absoluto.

Padre foi adequado para não ter aquele pulo do gato e o paladino por fugir um pouco do modus operandis tradicional é o que continuou perdendo até o playtest parte 03, quando chegou ao 6º nível de personagem.

Padre guerreiro

Próxima matéria falarei do relatório entre a parte 1 e 2.

Que os testam prossigam

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s