Um novo capítulo na história de Inpergoh – Dois Futuros que se chocam

POR LEONARDO “SILVERBOLT” DIAS

Depois da passagem pela construção corrompida, Seth e Fabregas tem suas almas roubadas por joias, e logo que se recuperam dessa armadilha surgem vórtices dos dois lados cercando o grupo. O que acontecerá?

pergaminho RPG

Todo o grupo incluindo seus mascotes dessa vez começam a ser arrastado pelos vórtices. Katsulee consegue se esconder e o grupo protege Yves inconsciente. No meio do caos  Seth terá uma nova visão com o Avatar que viu antes.

Avatar: – Sou Yuuhiko Kaoin. Olá Seth.  Não devo ser estranho a você?

Seth o parece conhecer de algum lugar.

Avatar: – Vim aqui porque sabe como é importante sua missão para que nada passe despercebido e os erros dos outros 7 ciclos se repitam.

– Sim houve outras 7 tentativas de abrir o Portão das Memórias, missão que não escolhi, mas sou responsável dessa vez, por intervenção superior, nos encontramos antes quando era Tatsuo, o monge.

– O monge foi enganado pelos inimigos do tabuleiro. Sim eu sei que a referência pode ser cruel, mas é como se jogassem um jogo, existem três tipos de peças, vocês os jogadores, aqui incluindo Ahstan, Zero, Fabregas, Jacques, Zephaniah, além de você.

O mago se dá conta que ele não menciona algumas pessoas, e aguarda.

Avatar:  – Houve baixas entre os jogadores, alguns saíram do tabuleiro, outros trocaram de lado.

Há também os guias, aqueles que têm habilidades que os jogadores não possuem e os deve empurrar para frente, indo às vezes contra o próprio passado, dessa vez os guias são Yves e Claire. Sim Kamali não é nenhum nem outro, nem o terceiro, na verdade Kamali nunca foi nada.

Esperando algum questionamento.

Avatar: – Do lado estão os inimigos desde o 5º Ciclo representados pelo Kamisan Shokushu, a união da magia, das sombras e da tecnologia, que não aparece no início porque o mundo precisa amadurecer antes.

– Os inimigos venceram as outras 7 vezes, são ótimos jogadores para o lado errado. Precisam ter cuidado com eles.

– Sem ver acabam trabalhando para eles. Ou sendo induzidos a tal feito. Cuidado com o tempo e proteja o medalhão, mas não só ele, agora as esferas com os poderes que foram roubados pelos Magos do Caos estão recarregadas, e vão aparecer no radar dos vilões representados pelo Pentagrama.  Caso eles as tenham, as chances de vitória diminuem. Cuidado com o presente e o futuro. E fique sempre de olho no passado. Até nosso próximo encontro.

Os cadeados dos itens desaparecem antes que eles sejam puxados: Ahstan: pode criar uma barreira de gelo que congela ao toque, fora isso pode destruí-la e transformá-la em Jato de Gelo; Fabregas: Armadura Elemental (resistência a algum elemento a sua escolha); Jacques: Sombra (Pode acessar o Plano das Sombras ou deixar um clone de sombras que explode causando dano de trevas); Seth: pode manter a criatura mágica invocada por 8 horas com o gasto normal de fócus, Zephaniah: pode virar elemental de Fogo e Zero: Eletricidade na sua espada ao criar um espada dupla ou uma só espada com alcance 15 ou uma barreira elétrica.

Espada elétrica

O grupo se divide arrastado pelos portais, no primeiro Seth, Jacques, Zero e Lycan e no segundo Fabregas, Zephaniah, Ahstan e Claire, os mascotes acompanham seus donos.

Seth ao entrar no vórtice verá que Gorgov, a estátua, ficou preso naquela construção na sala das joias, saindo por teleporte. Com um frasco escrito que quem o salvou foi Hadamant´s. O cavaleiro da Ordem de Quimera e membro da Rosa da Alvorada.

Você vê os dois no ano 80 se encontrando. Hadamant´s pede perdão ao mago por tê-lo abandonado, diz que não houve tempo para cumprir sua missão no futuro, mas não pode voltar também por ora. E entrega o frasco que se ativará quando ele virar pedra.

Assim Seth entende o porquê da estátua sumir, quando Hadamant´s reescreveu o passado, mas agora para onde iriam. Ele cai de volta onde era a Construção com seu grupo.  O local parece destruído há uma estátua de um padre de Gamla Varlden. “Aquele que fechou a Prisão da Escuridão”.

O rio em que chegaram está do mesmo jeito, só que algo mudou. Jacques teleporta para Valtamarien, uma placa em North College dirá “Parabéns aos Heróis do Novo Mundo, bem vindo a 903…”

Enquanto isso Fabregas, Claire e os outros três aparecerão no mesmo lugar só que as paredes metálicas com símbolos iguais ao do TecV, com os disseres, “Vitória do Kamisan Shokushu”, “Mundo das Máquinas”, “O Futuro já chegou”, “Os Novos Humanos venceram”, “O Poder das 12 Bestas”.

Fabregas teleportará para uma cidade mais próxima, encontrando ela devastada, com acampamentos nos lugares de casas e Makky-nas desativas, que avisam que ele está no dia 23 Asterlie do ano 100, começa mais um dia sob a dominação dos Cientistas.

Cidade Futurista

Grupo 1 –  Seth, Jacques, Lycan e Zero ainda inconsciente.

Jacques teleporta para casa e descobre que estão no ano 903, no futuro onde os jogadores venceram a guerra, ao custo da tecnologia do mundo. Inpergoh avançou, mas não tanto sem tecnologia.

Seth e Lycan entram na Prisão agora purificada sem criaturas, efeitos nocivos e joias que aprisionavam almas.

Enquanto Lycan espera ali. Seth teleporta com Zero recuperado para a Fonte Mágica para extrair informações de onde estão. Descobre ser o futuro e o que fez.  Tanto ele quanto Jacques pensam em achar suas versões do futuro.

E sem saber por que não envelheceram o que deveria com o passar de 103 anos, já que estavam no ano 800 na verdade, por que cada ciclo durava 100 anos.

Grupo 2 – Fabregas, Zephaniah, Ahstan e Claire.

Do outro lado quem abandona o grupo é Fabregas indo até o ponto de encontro em North College e vendo a cidade devastada exceto por algumas construções metálicas conhecidas como áreas mecânicas, com Makkyn-nas desativadas e com a memória defeituosa e com riscos de entrarem em colapso.

Ahstan segue com Claire e Zephaniah para o norte dali, onde encontram um acampamento, lá descobrem sobre o ano 103 NC, do Novo Comando, do Imperador Manyard Smith, o tal cientista que ia fazer um pronunciamento em alguns meses no passado, sob o domínio das máquinas e a praga inventada pelos cientistas para autorizar a caçada a todos os não humanos.

As pessoas no acampamento ficam distantes de Zephaniah e os mascotes com medo de retaliação. Só que explicam a divisão atual do mundo onde só há zonas abandonadas onde foram cidades e zonas de segurança – a sede do Império em Majien,  Reino de Imansiz, a Cúpula Negra no deserto de Rhyfel, a Fortaleza Wyvern e as Águias de Aço, veículos usados pelos cientistas como transporte do mundo, com a Malha Ferroviária desativa. E os Portais fechados.

Águias de Aço

Arancione foi de fato destruída durante o pronunciamento, Paikkhan continua sendo uma cidade lacrada e outros ataques destruíram Versch (pelos não humanos), Farhzeug (os portais e a malha ferroviária) e Symia (a torre e a alquimia) vilões aos olhos do atual Novo Comando, destruídas com esferas de energia como a que devastou Arancione.

Grupo 1 –  Seth, Jacques, Lycan e Zero.

Não há mais a Malha Ferroviária. Só os portais manipulados por magos.  O reino de Symia vive só de Alquimia e a população restante de Majien se abrigou lá. Os reinos do oriente ficaram ainda mais isolados.  Imansiz foi atacada pela Armada Rubra após quebra de acordo entre os reinos e seus laboratórios destruídos, e o reino lacrado.  O que havia de desenvolvimento médico foi repassado a Symia. Paikkhan hoje é uma cidade aberta, mas protegida pelos grandes devotos da deusa como é o caso do herói Zephaniah.

O deus principal do panteão é Kiuni e o reino principal Valtamerien. Noldian foi rebaixado a deus menor e Ullana é deusa maior em seu lugar.

Grupo 2 – Fabregas, Zephaniah, Ahstan e Claire.

Todas as cidades foram abandonadas, as pessoas vivem em acampamentos, caçando e pescando ao invés de abrigarem em locais rastreados pelo Império. Os habitantes livres no novo império viajam via Águias de Aço ou estão numa das três zonas de segurança física.

A tecnologia daqui é apenas 5 anos no máximo mais evoluída que a do ano 100, mas está em colapso.

O teleporte de Fabregas é o único que funciona aqui, a magia parece travada deixando Zephaniah, Claire e Ahstan mais fracos, suas melodias e feitiços tem 50% de chance de funcionar normalmente.

Por a deusa da natureza está enfraquecida com a destruição de Versch. E não há mais os cális nesse futuro. Seus poderes agora vêm do deus Beid e Aphnes que tentam ajudar as pessoas guiando sua sorte com a queda de Kiuni, Gamla, Tutte e Ullana do panteão, e os outros deuses além de Noldian o novo líder estão enfraquecidos.

Fabregas pode retornar para perto dos seus companheiros o acampamento está vazio só com os três e os mascotes de Zephaniah, no tempo que o cális negro ficou fora, um serenge coelho, o único não humano no acampamento originalmente foi “desmontado” numa poça de sangue pelo raio anti-criatura das Águias de Aço.

Uma mensagem aos pés de Ahstan “Não podemos correr risco de ficar com vocês, falei o que podia para guiá-los aqui, já que parecem afetados por algo e sem conhecimento do presente e das caçadas”.

Ahstan e Claire podem trocar informação com Fabregas tentando entender para onde ir, se os outros estão nesse futuro em algum lugar, como localizá-los, para onde ir, etc. São muitas perguntas.

Nesse momento eles devem perceber que a magia não funciona aqui. Nem mesmo as de Wu Jen de Claire. Claire fala que deve haver algum lugar com a história recente e que talvez devesse procurar em reinos antigos do conhecimento como Carancasto e Wissen.

Todas as cidades de Wissen são Áreas Mecanizadas como North College. Arancione está cercada e tem uma grande cratera ao centro, marcada pelo primeiro ataque.

Cratera cidade

Não há livros, mas painéis como nas Montanhas de Rhyfel que Fabregas pode ligar e que mostram a separação das áreas, as pessoas caçadas, os reinos destruídos, o ataque a Arancione e um homem no final.

A voz é conhecida. E do criador do TecV.

– Fabregas você deve ter acessados os vídeos com seu TecV, se sim confirme no painel à frente colocando sua mão para identificação.

Ao identificar a impressão de Fabregas.  O homem continua.

– Sou Sirius Lurhzel de uma das famílias da ciência do Reino de Majien. Fui um dos primeiros a pensar em usar a energia das 12 Bestas recolhidas para propósitos de defesa, afinal libertá-las colocaria em risco a existência do mundo. Só que vi que Imansiz pensou diferente quando durante o pronunciamento de Manyard Smith destruiu a cidade de Arancione, matando milhares de pessoas e começando o que seria hoje o Domínio do Novo Comando.

– Roubei umas das 12 Bestas e usei sua energia para criar uma máquina que me arremessou no futuro. Onde a tecnologia superou tudo e destruiu a civilização como eu temia.

– Passei a pensar em algo para detê-la misturando o que conhecia da medicina avançada de Imansiz, a tecnologia avançada de Majien e do futuro e desenvolvi o TecV. A tecnologia viva que se desenvolve sozinha conforme é montada sem precisar de conserto, e aprimorando o ser até o conceito da máquina, sem motivações egoístas como a de destruir o mundo por motivos menores.

– Só que a tecnologia foi roubada por algumas vezes e usada em efeito contrário, atingindo o futuro que vislumbrei cada vez mais cedo.

– Resolvi dividi-la e usando a máquina, guardar suas partes em locais secretos e em tempos diferentes, mas mesmo assim o inimigo encontrou metade das peças e dividiu para mantê-la em segurança entre as três frentes do atual Kamisan Shokushu.

– Voltei mais uma vez no tempo, mas os efeitos sobre o meu corpo o deterioraram, e vi outro futuro pela primeira vez onde minha intervenção tinha dado certo, os heróis venceram com a ajuda do TecV usado por Fabregas, naquela linha escolhido como aquele que levaria o nome de Noldian, mesmo sendo de vilarejo pequeno perto de Hefestus.

– A primeira peça do TecV, roubada pelos inimigos acabou se perdendo num conflito entre soldados de Imansiz e revoltosos do seu vilarejo, resultado a peça foi guiada a você e o mesmo escolhido para reunir todas as partes e gerar o novo futuro.

– Agora só preciso dar o primeiro passo para isso acontecer. E guiá-los além do TecV para o futuro que vislumbrei…

A mensagem é cortada.

Qual o objetivo do grupo dividido? Por que ir para dois futuros diferentes? As respostas nos próximos pergaminhos.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s