Um novo capítulo na história de Inpergoh – Além das portas sangue e respostas

 POR LEONARDO “SILVERBOLT” DIAS

Após quatro pavimentos, o ingrediente foi encontrado e agora é hora de desvendar a história dos últimos ciclos.

Agora com os dois ingredientes reunidos, o Rato Vermelho e o Coração de Oblou. Na lista do pergaminho aparece o terceiro ingrediente do lado direito, a Erva Espiritual.

Claire já ouviu falar de tal erva que só pode ser encontrada no Caminho dos Mortos, uma estrada entre o Plano Material e o Plano dos Espíritos. Monges podem acessar este local mesmo vivo, mas sabe que existem riscos.

O cenário começa a mudar, as pedras parecem cair, mas na verdade o lugar passa por um processo de envelhecimento, ao final de tudo o local fica com 7 portas abertas por onde a água finalmente escorre e uma porta trancada com o número 8.

Ao atravessar a primeira porta um anão de barbas ruivas com dois machados de ossos aparece preso à parede da direita por espinhos gigantes que lembram os do coração, ao final do corredor o número 1 riscado com sangue.

2ª Porta – Tem uma mulher com um kimono branco cortada ao meio pelo que parece ser uma gigantesca garra de caranguejo. O número 2 também riscado de sangue.

3ª Porta – Um homem forte com lenços nos braços e nas cabeças com a bandeira pirata do Krakenhaus está todo queimado, ajoelhado de frente para a parede com o número 3 riscado a sangue.

4ª Porta – Um jovem com menos de 18 anos está caído no chão com o crânio aberto e sem cérebro. O número 4 riscado de sangue.

5ª Porta – Um homem loiro está todo ensopado e com marcas de tentáculos negros por todo o corpo como queimaduras.

6ª Porta – Uma mulher morena com um robe arcano tem sua pele separada dos ossos empilhados.

7ª Porta – Um bárbaro tatuado maior que Kamali está petrificado e com uma das pernas quebradas e sem um dos braços.

Na ordem Lycan, Katsulee, Jacques, Fabregas, Ahstan, Seth e Zephaniah sentem por poucos segundos as mesmas dores causadas por aqueles ferimentos.

Quando alguns de seus itens começam a emanar magias e destrancam novas habilidades.

Ahstan agora pode conjurar um escudo de gelo que defende ataques como se esse tivesse bloqueio e pode refletir ataques de fogo; Fabregas tem o mapa liberada para a 5ª peça do TecV; Jacques agora pode sacrificar 2 horas do colete e criar uma bolha para ficar debaixo d´água dividindo o tempo restante entre as pessoas; Katsulee pode transformar os espinhos em armas de longa distância; Seth pode usar os fócus daqui para aumentar o dano de suas magias, Zephaniah agora recupera suas energias ao absorver a essência de animais e bestas; Lycan tem todas suas flechas envoltas naturalmente em trevas e Zero recebe Vento Cortante, juntas ele pode criar um Furacão.

Após as visões eles conseguem a segunda metade da caixa. Após coletarem a caixa, o terceiro item da lista da esquerda aparece o “braço – parte dele” e a luz branca envolve a sala e destrói o que resta da Torre de Rocha Branca.

Vocês começam a subir e dentro do mar escutam som de badaladas de sino, vidro se quebrando e parece que veem uma chuva de areia vindo de cima, a luz os envolve e vocês aparecem boiando no mar.

Pedaços de madeira flutuam no mar, todos precisam sentem tonturas e precisam resistir para não golfar sangue.

Eles precisam nadar ou voar até o continente.

Lá chegando onde estava à cidade parece uma grande planície cercada por árvores grandes, ao sul é possível avistar montanhas de gelo, ao norte além da floresta há estradas de terra com marcas de uma caravana que passou recentemente, a leste perto de um rio tem um acampamento onde um grupo de aventureiros aguarda.

O grupo é formado só por elfos, no total de 6 deles: Maethor, Golwen, Saelvaethor, Naeret (a única elfa), Ithit e Fain.

Eles não são muitos de conversa, talvez soltem alguma coisa aos meios elfos depois de um tempo, Maethor e Ithit são rangers, Fain é um druida, Saelvaethor um bárbaro da Tribo do Fogo, Golwen é um conjurador puro e Naeret – uma discípula de Ullana.

 

Golwen conta que ele conseguiu conjurar um Portal que os salvou do perigo das caçadas do Fuhrer Reinheit na Floresta Antiga e os trouxe até aqui, só que como o continente é recém-descoberto, aqui não existe muito trabalho principalmente para elfos, os outros grupos de anões e humanos seguiram para a cidade a noroeste em construção, a Cidadela dos Sábios.

Se questionados em questão de tempo eles dirão que estão no 1º Dia de Fé do ano 060.

Como?

Este continente foi o último a ser descoberto. Só existem terras despovoadas, a montanha de gelo onde é Glace, a cidadela dos sábios a noroeste.

Eventos Paralelos

Enquanto todos estavam em Okean. Ahstan fez uma pesquisa sobre Manyard Smith já que teve a visão com o jornal, antes de ler a notícia e sabe que de alguma forma estava envolvido com o grupo.

Ele descobre que Manyard Smith além de cientista é um renomado médico de uma família que cresceu no reino de Majien, antes dele ganhar este nome quando era uma parte anexada a Carancasto, e o reino nem era considerado o grande “centro” do mundo.

Sua família depois de perder 5 torneios de invenções consecutivas começou a vender tecnologias a outros reinos, foi nesta época que a lei proibindo a divulgação das invenções do futuro reino de Majien se tornaram mais severas.

Os Smith foram expulsos do reino e alguns encontrados mortos dias depois, a mãe de Manyard, Aurora Smith casou novamente como um cientista do reino de Imansiz e eles se mudaram para lá.

O jovem Manyard logo demonstrou talento para medicina e se tornou diretor do Hospital Principal de Aventis, devolvendo alguns projetos secretos. Foi nesta época que um acidente de origem desconhecida aconteceu e Manyard teve seu braço direito inutilizado e seus olhos parcialmente queimados.

Diziam que pelas leis da cidade ele deveria ser expulso novamente por ter de tornado um “aberrante”, mas seu padrasto o apoiou perante o Conselho da Cidade e falou que ele poderia ajudar com a “ciência” dali com o seu passado em Majien. Como era um bebê ele não tinha noção das tecnologias de lá na época e não quebraria as leis.

Manyard se tornou um cientista e criou óculos especiais que permitem utilizar seus olhos normalmente e até aprimorá-los. Seu braço parece sem conserto, ou aparente sem conserto.

Sabe-se que seu padrasto, o único “parente” vivo faleceu no final do ano 099.

A revolta de Manyard e sua palestra ainda são sobre temas desconhecidos, assim como o seu paradeiro.

Continua nos próximos pergaminhos.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s