Colocando a casa em ordem

POR LEONARDO “SILVERBOLT” DIAS

Hoje depois de um tempo esquecido é hora de colocar os outros mangás em dia, ST&RS continua congelado no 20 deve ser a falta de popularidade no Japão que tem desanimado até os scans americanos e Silver Spoon teve um capítulo publicado, mas vou deixar acumular para a próxima matéria, é um mangá para falar de pelo menos dois capítulos.

Com spoilers para quem não leu os últimos capítulos.



FT (referente aos capítulos 267 e 268): Vamos a FT que teve ótimos capítulos mesmo sem o torneio começando de fato. No primeiro capítulo temos a cena inicial com os novos trajes de FT, diferente de outros mangás, em FT é comum os personagens trocarem de roupa pelo menos a cada arco, não ficam com a mesma roupa sem lavar por anos a fio, como um herói de Athena e sua camisa vermelha.

E não perdendo oportunidade de colocar um pouco de humor temos Elfman sem uniforme, já que a vaga no torneio era de Wendy e seu minúsculo uniforme do tamanho de um músculo do Ogro da FT.

Wendy não foi sequestrada, mas algo virá do seu ataque pela até então desconhecida criatura, ela e Charle saem de cena sendo substituídos de fato por Elfman, enquanto Porlyusica cuida da Dragonslayer.

Os oito times vão ser apresentados e como pelo menos 5 vagas nós tínhamos certeza a surpresa viria só das outras 3, ou alguém pensou que a Blue Pegasus, a Lamia Scale, a Raven Tail e a Sabertooth não estaria no torneio junto com a FT.

Vamos ver o que a Quatro Cerberus e a Mermaid Heel tem antes de serem eliminadas, ou você pensa que elas vão longe?

Na Blue Pegasus se não bastasse o Ichiya ainda tem um coelho no time, já que o time da Lamia Scale só tem conhecidos, a não se a irmã de Shelly, a desajustada, o legal de FT que por mais que conheçamos os personagens eles podem ter habilidades novas afinal passaram 7 anos, por mais que Leon não tenha mudado quase nada.

Em terceiro lugar vem a guilda das trevas, a Raven Tail, com o seu mascarado, que aposto ser outro personagem conhecido de alguma saga anterior e com o monstro que atacou Wendy bem ali, mostrando de cara quem é o inimigo.

E a grande surpresa do capítulo 268, o time B da FT, as regras permitiam mais de um time e o Mestre Makarov trollou todo mundo e deixou um time com Mirajane, Gajeel – que provou não ser tão forte assim no Arco da Ilha Tenrou, Juvia, Laxus – agora assim subiu o nível e Mystogan – na verdade Gerard disfarçado com a concessão do Mestre Makarov e até de Marvin.

Com a entrada do primeiro time, o Sabertooth, os jogos começam com a explicação da pontuação dos times, e que todas as rodadas terão batalhas onde seus participantes serão escolhidos por voto popular.

O primeiro jogo será o secreto. O que será isso? O competidor Narpunding, que nomezinho, vai participar pela Raven Tail, o personagem a primeira vista não tem nada de “secreto”.  Eve irá pelo Blue Pegasus, Sabertooth escolhe o misterioso Rufus e os times principais entram com Leon, Gray e Juvia, o trio romântico inesperado.

Toriko (referente aos capítulos 171 a 173): Hoje a ordem vai ser pelo conjunto da obra e se levar em consideração só os capítulos 171 e 172, o final do arco, o aparecimento de Joa e o rei do Reino de Jidar, o mistério que os cercam, além do encontro do Presidente da IGO – aka Chuck Norris dos mangás – encarando toda a Bishokukai e o líder Midora da organização maligna finalmente aparecendo e falando que ninguém daria cabo do velho, o novo arco seria épico.

Só que bebendo da fonte de seu inspirador atual da atualidade em questão de enredo, One Piece, parece que aquela cena é isolada, e só terá relevância lá na frente, já que o Shimabukuro errou as datas e a abertura do capítulo e fez um especial de Natal no início do ano e depois de criar uma abertura de capítulo com o tema.

Outro capítulo filler que me deixa com raiva de Toriko, sei que o mangaká tem potencial, já explorou isso em sagas como do Regal Mammoth, da Sopa do Século, dentre outras, mas tem hora que assim como nosso amigo predileto na hora do esculacho, Kubo Tite, ele faz um capítulos que fogem do tema da história e não dá seguimento, parece que o próximo também será assim.

Midora e o Presidente

Agora é esperar para ver no que aquele encontro vai dar e que venha a guerra do Bishokuyas e Bishokukais, ei nomezinho do inferno.

Bakuman (referente aos capítulos 162 e 163): Eu falo que em Bakuman fica difícil saber se autores estão de fato finalizando sua obra ou não, depois de criticá-los por pensar em capítulos de pausa – fillers de mangás – e do exagero no número de volumes encadernados de Zombie Gun. Eles começam o capítulo 162 plantando a semente para o evento que levaria o mangá ao final, o anime de uma das obras de Ashirogi Muto.

Com o agente de estação falando da proposta de Reversi ser o substituto de Crow naquela companhia de animação, dali segue para o capitulo de comemoração do Ano Novo com um merecido descanso a Mashiro ao lado do casal Kaya e Shujin. Com a ideia que no próximo ano com o possível anime seus sonhos com Azuki se tornem realidade.

Fechando o capítulo com editor chefe tendo de escolher entre Zombie Gun e Reversi para o possível anime, o capítulo 163 continua dali, deixando que os responsáveis pelas séries falem com seus editores e autores para ver qual será a obra escolhida, afinal as duas tem pouco mais de 6 meses de publicação e Zombie Gun teria problemas de ficar muito próximo do anime – Bleach e Naruto feelings.

Com a responsabilidade em suas mãos, os responsáveis passam para Hattori e Yujiro, o segundo fala com Eiji que nega o anime, mas muda de expressão ao saber que se abandonar o projeto, Ashirogi Muto ficaria com sua vaga.

Hattori entra em desespero antes de falar com os mangakás, afinal se a ideia de acabar com Reversi após a luta dos protagonistas terminar, o mangá acabaria antes do anime estrear, e se a produtora soubesse disso ia engavetar o projeto.
Depois de não dormir a noite, ele resolve falar com os dois, que ao ouvir sobre o anime aceitam na hora, mas o fato de estender a obra parece uma opção para Shujin, que está disposto a realizar o sonho de Mashiro e Azumi, mas não Mashiro que acha que esticar o mangá poderia perder a qualidade que eles tanto prezam.

No meio da discussão a história da promessa que move o mangá finalmente é contata para Hattori que na hora aprova o anime mesmo sem a necessidade de esticar o anime, com o grande problema resolvido, e a deixa para o encerramento da obra Bakuman, Yujiro chega com 20 names para o anime de Zombie Gun feitos pelo próprio gênio Eiji, que não quer perder para Ashirogi Muto.

Como falei não sei o que Ohba e Obata querem terminar o mangá ou esticá-los, as discussões dentro do mangá parecem que cada vez mais faz referências a própria obra.

Magico (referente ao capítulos 41,41.5 e 42): O 43 até já saiu em inglês, como esta semana já deveria ser a do 46, vou aguardar a versão em português mesmo. Começando com os capítulos comuns 41 e 42.

Primeiramente volto à mesma tecla, Magico é um mangá que agora está um pouco afastado da zona de risco porque ST&RS e Nurarihyon já estão lá embaixo assim como outros mangás que nem são rankeados direito, o problema é que se arco se alonga, novas histórias são criadas e agora reaparece Faust, o irmão de Shion para bagunçar tudo matando e revivendo Juubee e sua esposa a troco de nada.

Enquanto Joshua e Rosetta vencem a loba e seu marido com uma técnica bizarra ao virar porco e sua esposa Rosetta atingir a loba com uma Colher Negra, ok… a luta ali acabou e agora está como imaginávamos entre Shion e Emma e o casal Joshua e Rosetta.

Todo o discurso de Faust, sobre Shion ao invés de ser um miserável mago que falhou em seu ritual quando criança e foi abandonado pela família, mas que ao invés de perder, está conseguindo realizar Magico e vencer o torneio pela casa, liberta a fúria do jovem das trevas. A pergunta é sempre o porquê?

Já tinham apresentado o irmão psicopata do protagonista, não poderiam deixar sua história e a parte do Sephiroth para frente depois de concluir aqui, não Naoki quer tudo de uma vez e isso só embola o meio de campo.

O capítulo 42 melhorou um pouco a situação juntando as ações até então independentes em algo maior, Joshua e Rosetta entram em ação, mas Faust e Ain sua esposa – do Sephiroth – na verdade se mostram o casal Latvia, que utilizavam como marionetes com outro ritual proibido.

Todos pelo mesmo interesse, um jogo é proposto por Faust, o Othelo com peças representando os mortos e ele com a esposa, e os vivos formado pelos casais Shion, Emma, Rosetta, Joshua, Juubee e sua esposa.

Agora o capítulo especial de natal, o 41.5 mostrando a família unida, falando que seus presentes eram estar juntos e sendo recompensados por Nice. A história foi curta e dentro de outro aspecto familiar do mangá que anda esquecida com toda a aura de batalha dessa parte final do Torneio.

Até a próxima leva de mangás

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s