MMO’s Free: Pra Que Te Quero? – Parte 1

POR JOSÉ ALFREDO


Após passar quatro meses sem um PC decente em mãos começo o ano com ele de volta e ainda turbinado e enquanto usufruía das novas capacidades dele resolvi aproveitar o fato e escrever um Especial dividido em 4 partes sobre algum dos MMO’s Free que estão no mercado hoje.

Antes de qualquer coisa, para quem ainda não sabe MMO é a sigla para Massive Multiplayer Online que são jogos onde um grande número de pessoas participa e se relacionam ao mesmo tempo num determinado cenário. Aqui trataremos especificamente sobre os MMORPG.

Durante o tempo em que permaneci ausente, diferente do que meus parceiros de blog estavam imaginando eu não estava meramente vagabundando, resolvi testar vários MMORPG’s e me informar da opinião de vários amigos meus quanto a eles, alguns Rpgistas como eu. Entre as críticas negativas que ouvi falavam de que não pagariam mensalidade para jogar algo, que não jogariam algo que não tem fim, que ficar apertando trocentos botões para controlar a personagem é muito chato, que provavelmente não teriam tempo para jogar decentemente ou que simplesmente tiveram uma péssima experiência quando jogaram uma vez e não querem repetir. Engraçado que apenas 1 disse que realmente não foi com a cara dessa modalidade de jogo, mas ele é chato pra caramba e a opinião dele é irrelevante.

Eu poderia dizer aqui que no quesito mensalidade (que normalmente fica entre 15 a 25 reais, já acrescentando aqui jogos pagos em dólar), muitos gastam isso em 5 minutos numa lanchonete, mas acham um absurdo gastar isso por 1 mês de acesso ao jogo. Poderia dizer que há franquias de jogos que existem há anos lançando todo ano um capítulo novo de seus jogos, o que pode muito bem ser interpretado como não tendo fim também (por que será que pensei em Final Fantasy?). Quanto aos trocentos botões é frescura. Praticamente qualquer jogo de PC é desse jeito. Sobre a questão do tempo, ontem mesmo em 1 hora e meia, jogando um dos MMO’s realizei umas 6 quests sendo 1 um pouco extensa (e bastante divertida), 1 raid (que consiste de uma quest onde é requerido um número grande de jogadores para ser concretizada) e participei de 2 eventos de PvP (Player VS Player).  Já sobre péssima experiência, teve outro dia que joguei Street Fighter 4 com o Abel e achei o jogo uma porcaria, aí troquei pro Yang e curti.


Enfim, de 2010 pra 2011 vários MMORPG ou já vieram sendo grátis ou resolveram adotar esse formato em virtude do número de jogadores ativos que estava sendo reduzido devido ao excelente World of Warcraft que mesmo após 7 anos ainda apresenta um trabalho impecável no seu serviço, as promessas de Star Wars: The Old Republic (que fora lançado em dezembro e está fazendo jus ao que prometera), Guild Wars 2 e Secret World. Vendo que era só questão de tempo, vários jogos ficaram grátis para se manter no mercado. Em virtude disso, nós acabamos sendo presenteados com ótimos jogos a espera de um download… Ou um longo download… Por Crom, maldito seja Age of Conan!!!

Escolhi alguns jogos e testei cada um por um dia para ver se realmente vale a pena. Pra facilitar para os senhores, dividi em categorias minha opinião (leia bem, opinião, achismo foda, MINHA percepção do que vislumbrei do jogo). Se você julgar que estou errado, parabéns, você tem opinião própria. Se você julgar que você é o certo, perceba-me não me importando.

As categorias serão:

•    Gráficos – Este é meio óbvio.
•    Imersão do jogo – Este aqui é um fator que entendo como deveras importante para qualquer jogo. Ele abrange a história, a música, a interação que você tem com as personagens do jogo. É o que te faz se divertir com o jogo.
•    Jogabilidade – Mesmo muitos dos MMORPG terem uma mecânica (tanto com relação aos comandos, classes, raças) e interface parecidas, alguns sempre apresentam algo a mais.
•    Acessibilidade – Aqui vou tratar tanto dos requisitos do jogo quanto o que o plano grátis do jogo oferece ao jogador. Sim, mesmo sendo grátis há possibilidade de você ter uma conta Premium (pagando mensalidade) e com isso acesso a 100% do que o jogo oferece e/ou comprar itens no jogo com dinheiro real (conhecido como Cash Itens), mas não tome conclusões precipitadas, pois falarei sobre isso (aposto que teve mané pensando já falando que é por isso que odeia MMO).
•    Conclusão – Minha opinião se o jogo vale a pena ou não.

Espero que vocês curtam. Até a Parte 2. =D

2 comentários em “MMO’s Free: Pra Que Te Quero? – Parte 1”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s