Nem sempre o céu é o limite

POR LEONARDO “SILVERBOLT” DIAS

Como falei na matéria de Fullmetal Alchemist esperei alguns capítulos de mangás a mais para fazer esta matéria e ainda assim está sem Fairy Tail que só deve sair nos próximos dias e Magico que não teve o último capítulo traduzido nem para o inglês.

Lembrando sempre que os capítulos comentados são os mais recentes publicados ou traduzidos e que contém spoilers e estão na ordem do mais interessante para aquele sem qualquer impacto.



Toriko (referente ao capítulo 170): Lendo algumas resenhas de Toriko sobre o Arco do Cassino, por assim dizer, já que o nome oficial era Arco do Meteoro Alho, só não parecia.  Vi que estava remando contra a maré, enquanto todo mundo adorava os capítulos eu esculachava, e não mudo minha opinião, é só para constar.

O tempo gasto com aquele jogou de carta foi desperdiçado, eu como fã do Yu Gi Oh clássico, ficava esperando aquelas estratégias dignas do anime em questão e era ludibriado por dois competidores que roubavam cada um a sua maneira e nada mais. Resultado adorei quando o jogo de cartas acabou, quando Coco venceu Livebearer no murro com um só golpe e agora veio o desfecho do verdadeiro arco.

Deste capítulo sim eu gostei, tinha todas as características típicas de Toriko, eles falando que não queriam as memórias e sim provar o alimento em si. Encontrando o famigerado Meteoro Alho, o cozinhando, toda a exibição em uma dos fogos de artifício, comendo e o efeito colateral que deixou todos bombados.


Teve erros também Livebearer que parecia tão cruel no final das contas era um cozinheiro, que o pessoal do grupo muito esperto o deixou sozinho com Komatsu com a desculpa que está nocauteado por Coco e que o vidente tinha feito uma previsão a seu respeito, previsão da mudança radical do vilão que ajuda Komatsu a cozinhar e depois todos a comer o ingrediente na verdade pedaços dele do tamanho de gomos de tangerina. Sei que os ingredientes são exóticos por si só, mas cozinhar alho e comer, que indigestão!

No final ele resolve mudar de vida virar um cozinheiro e para variar os capítulos atuais de alguns mangás, os “mocinhos” deixam que ele siga seu sonho sem problemas, esquecendo todos seus crimes aparentemente numa boa. Para compensar ele entrega o cassino a Match – talvez quem tenha ganhado mais com o arco – e fala que o ingrediente do interesse de Coco o Atomo está com Joa, o Chefe Sombrio do Reino de Jidar.

O cenário do próximo arco parece estar aberto lembrando que os seqüestros dos chefes pelo Bishokukai está em aberto desde a metade do arco que se encerrou.

Bakuman (referente ao capítulo 161): Capítulo intermediário de Bakuman, sim sei que Bakuman é um mangá difícil de saber quais são os capítulos principais e intermediários.

O capítulo inicia com a notícia das 900mil impressões do 3º lote de mangás de Zombie Gun. Na reunião com Hattori o óbvio é dito, que Zombie Gun vendeu mais por assim como alguns mangakás atuais como Oda, Eiji é um ícone com um mangá que durou anos e ficou sempre no topo, com um anime que está prestes a acabar e sempre teve grande audiência.

Houve certo exagero nos números e continua quando o editor falo em 3 ou 4 milhões de exemplares, remando contra a maré Eiji que agora assumiu o seu posto na disputa contra os principais fala que está disputando com eles o primeiro lugar nos questionários e nas vendas, o que leva a idéia de Mashiro e Takagi de criar algo para aumentar as vendas nos volumes encadernados e o adivinho da série Eiji também sabe que haverá disputa mesmo com uma grande diferença até o momento.


A idéia é criar histórias de descanso nas palavras de Mashiro, num mangá comum isso teria de ter muito cuidado, não sei no universo de Bakuman, capítulos de descanso tem cara de fillers no mangá.

Só que o problema das vendas que parecia o bicho de sete cabeças pelo menos desceu as escadas, afinal mangakás e assistentes arrumaram um tempo na agenda para ir a o prêmio Tesuka e Akatsuka os quais nunca foram.

Explicação do nome do prêmio vem de Osamu Tesuka e Fujio Akatsuka, o primeiro é considerado o pai do mangá moderno como obras reconhecidas como Astro Boy e Kimba – O leão branco e Akatsuka considerado o rei do Gag Mangá, mangás de humor como Sket Dance e Gintama.

A premiação concede prêmios semestrais ao melhor enredo de mangá (Tesuka) e ao gag mangá (Akatsuka)

Agora é ver o caminho que as tais histórias de descanso levará a série, que tem hora que parece estar próxima de um desfecho, e na outra semana desvia do final óbvio, inventando novos enredos.

Silver Spoon (referente aos capítulos 25 e 26): O capítulo começa mostrando que as mudanças foram temporários em Silver Spoon, Tamako voltou a engordar e Tokiwa teve que voltar ao normal além de ser obrigado ao trabalho forçado.

Trabalho esse que Hachiken pede para fazer, um extra no chiqueiro para que possa ficar com Butamon até seu abate.  É lá que ele tem uma conversa com Yoshino que Tokiwa entende tudo errado e o que parecia simples se torna um boato na escola de que Hachiken tinha engravidado a moça.

Na verdade ele só queria assumir uma responsabilidade com relação à Butamon o que leva aos acontecimentos do capítulo 26. O problema da confusão é resolvido, Tokiwa ganha mais alguns dias de trabalho forçado e Hachiken fecha o capítulo perguntando “Quando custa um porco daqueles?”.  Finalmente sabemos no que ele vai usar seu dinheiro de trabalho de verão.

A surpresa vem do fato de que ele quer comprar a carne de Butamon e não pegar o porco para cuidar como era esperado, o capítulo 26 gira em torno da compra de Hachiken, dos porcos indo para o abate, da conversa misteriosa de Fuji-sensei com o motorista, seguido de uma aula sobre abates de animais.

E termina com Fuji falando “Seu porco chegou!”. Eu acho que tem uma pegadinha nesta história, que a tutora ficou com pena de Hachiken e não matou o porco, posso estar enganado. Mas fico vendo mistério até no mangá de fazenda, mal de ler tanta coisas.

ST&RS (referente ao capítulo 20): ST&RS está aqui no final, por mais que o capítulo não tenho sido tão parado quanto os últimos. Não consigo me empolgar com ST&RS mais, a história precisava dar uma engrenada já que o mistério que a cerca está num futuro distante.

E o que os dois mangakás responsáveis fazem gastam páginas para procurar o avião perfeito para passar pelo tornado que bloqueia a cadeira em Marte, dali eles imaginam um foguete com velocidade acima da possível que passe pelo tornado e tire uma foto.

Problema resolvido, mas para criar aquele foguete demoraria meio ano, era a chance de passar tempo no mangá, mas aí o cenário de Marte poderia mudar a saída destruir alguns satélites para a missão no lugar do foguete devido à velocidade dos mesmos.

O professor é contra, mas Fifi Collins aceita a idéia e a leva ao Conselho que também é do contra.


Como eu disse o capítulo foi movimentado, mas agora o que poderá haver uma discussão a respeito da missão, o tempo até lá, a missão em si, se descobrirem algo a respeito da cadeira ou da mensagem, talvez o mangá engrene de novo. E não é só a minha a má vontade não, os japoneses abandonaram ST&RS há um bom tempo, suas posições são péssimas, mas o cancelamento de Enigma acabou liberando o espaço necessário e o mangá continua tentando se levantar.

Vamos ver o que poderá ser feito e esperar pela Jump #07 de 2012, mas de fato a primeira que iremos ler este ano. Contando os dias.

Até lá

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s