Mangás através do espelho

POR LEONARDO ‘SILVERBOLT” DIAS

O grande queridinho da Weekly Shonen Jump para ano fiscal de 2012 parece ser o mangá que vou apresentar hoje, para fechar a sessão de apresentação de mangás a partir de agora está dividido numa sessão mais no início da semana para não definir um dia e sair atrasado vem à sessão composta por Fairy Tail, Toriko, Magico, ST&RS, Silver Spoon e agora Bakuman, e no final da semana os outros que já começaram no último post de mangá.

Não sei se o fato de Bakuman ser o queridinho atual seja porque a série talvez esteja se aproximando do fim… antes de falar nisso é hora de explicar qual o tema do mangá.

Bakuman  (バクマ) é um mangá feito pelos criadores do grande sucesso Death Note, Tsugumi Ohba e Takeshi Obata. O primeiro capítulo foi lançado no Japão no dia 11 de Agosto de 2008.  Bakuman é a história de dois garotos do 9º ano que querem se tornar mangakás, ou seja, criadores de mangás. Os personagens principais incluem Moritaka Mashiro que é um desenhista, e Akito Takagi que é um roteirista. Pode-se dizer que Bakuman seria um retrato da história de Ohba e Obata, afinal eles são exatamente isto desenhista e roteirista, parceiros de longa data.

 Seus mangás são classificados por eles e pelos japoneses como mangás não-mainstream, uma discussão que está dentro do próprio mangá, temas que fogem do cotidiano comum shonen, de porradaria,  treinamento, técnicas novas, vilões épicos, etc. Você sabem do que estou falando.

Bakuman começa com Moritaka Mashiro deixando seu caderno com um desenho de  Miho Azuki, sua paixão em sala de aula. Quando ele  volta para buscar o caderno seu colega Akito Takagi está esperando por ele com o seu caderno na mão, e diz a ele que ele acredita que Azuki gosta de Mashiro também. Takagi, então, tenta convencer Mashiro para se tornar um mangaká e o chama para ilustrar as histórias que ele escreve.

No entanto, Mashiro, é relutante à desilusão com a sociedade moderna e o destino de seu tio, um antigo mangaká serializado que morreu por excesso de trabalho, enquanto tentava recuperar seu status.

Mais tarde Takagi chama Mashiro dizendo que ele vai confessar à Azuki. Mashiro corre até a casa de Azuki para encontrar Takagi, e ele em seguida, solicita Azuki e confessa a ela que ele e Mashiro são destinados a ser mangakás. Mashiro, em seguida, descobre que ela quer ser uma Seiyuu (nome dos dubladores no Japão) e propõe Azuki em casamento, sob a condição de que eles só se casam depois de alcançar seus sonhos.

Seu objetivo é ter a voz de Azuki como a heroína da adaptação do anime de seu mangá. Para ter a maior probabilidade de sucesso, ele e Takagi votam em que sejam serializados na revista semanal Shonen Jump  e tentar criar o mangá mais popular para a revista.

A série recebeu um anime próprio em 2 de Outubro de 2010 com 25 episódios e uma nova temporada agora em 1º de Outubro, com mais 25 episódios previsto. Mesmo porque  o mangá ainda está em andamento.

Como falei acima não sei se é porque Bakuman talvez esteja próximo de ser encerrado, até por ser uma história complicada de ficar enrolado ou porque a Jump está a cada tempo investindo num possível sucessor para Naruto que está perto do fim. Ou pelo menos parece.

Minha relação com Bakuman é engraçada, até hoje não vi um episódio do anime – o que gosto de fazer quando acompanha o mangá, mas por coincidência foi Bakuman o sucessor de KHR no horário, e como fiquei muito triste com o final prematuro do desenho de Reborn, guardei muito tempo raiva da história, até que a curiosidade foi maior e peguei o mangá para ler e hoje estou bem próximo dos japoneses, porque dei uma atrasada nos últimos 4 capítulos, mas até a próxima sessão vou estar com ele em dia, prometo.

Como a apresentação de Bakuman ficou extensa e aproveitando que a maioria dos mangás comentados não saiu do lugar, hoje os comentários vão ser mais rápidos.

Lembrando sempre que fora ST&RS todos os comentários são dos capítulos da última semana lá no Japão e definidos em ordem de interesse.

FT (referente ao capítulo 462): Lembra que semana passada eu falei que o Mashima ia acelerar o treinamento, não deu outra, só que teve a trollada, afinal passou o tempo e os principais ficaram sem treinar.

Aquelas histórias dos personagens secundários e só para eles terem participação, já que o Jet e o Droy foram zuados ao máximo quando a Virgem os chama para salvar o Mundo dos Espíritos Celestiais e só não leva os dois.

Visita ao reino, nada de salvar, festa ao estilo FT de ser, nesta parte bem próximo a OP e seu finais de arcos sempre em festa.

Piadas clássicas aqui e ali, uma relação de amizade inesperada entre Juvia e Aquarius e o a festa acaba, Virgem lembra que se esqueceu de falar do problema com o tempo. O pessoal pensando que teriam sua própria “Sala do Tempo” quando na verdade o tempo acabou, um dia no Reino Celestial exatos 3 meses na Terra.

Falta só 5 dias para o torneio, como eles irão fazer? A única desculpa que dou para Mashima é que ele falou que está montando trocentos novos personagens, porque este foi outro capítulo em forma de piada.

Toriko (referente ao capítulo 167): Começando com a luta que nem chegou perto do que eu esperava, perto dos inimigos que Toriko já enfrentou até aqui, é forçar a barra pensar que o Panda da Sabedoria deu tanto trabalho para ele ficar daquele jeito.

O monstro poderia comer o cérebro do Toriko, se fosse o mesmo plot das memórias dos sabores seria repeteco, se não o monstro só tende a perde comendo o cérebro do brutamontes. Certo ele venceu, teve o drama para cozinhar, comeu. Pontuação conquistada. Aí o Coco tenta dar um golpe e novamente o Livebearer toma o Whisky  de Verão de boa usando as dicas do Komatsu.

Aí vem um pouco mais de drama aquele troca troca de rodadas de erros e o Coco é obrigado a selecionar as cartas e Toriko a comer, Oh! E no final fica a tal Cereja Nitro, se pensar que ele já comeu a Libélula Dinamite nesse para que todo este clima de desespero.

Se o Toriko comer o outro ingrediente só com um pouco de enrolação e eles vencerem assim, o tal jogo vai ser a decepção de Toriko a se somar com os ingredientes fillers de um capítulo, que também foram horrorosos.

Quando comecei a ler o mangá depois de ver alguns episódios do anime fiquei super empolgado, o mangá não era de enrolar tinha uma frente enorme até o Regah Mammoth mesmo um pouco demorado foi legal, depois aí ficou com inimigos e desafios épicos muito cedo e agora deu ré para histórias como essas.

Silver Spoon (referente ao capítulo 22): A família de Mikage acaba não aceitando o salário de Hachiken, falando que eles eram responsáveis por checar as máquinas e que ele deveria ser pago por ter perdido todo o verão trabalhando na fazenda.

Hachiken acaba aceitando e pensando no que pode fazer com o seu pagamento. E chorando por não ser daquela família.

Daí começa o retorno a escola, a escolha das novas matérias, clubes e estágios dentro do Colégio Agrícola.

A comédia retorna no encontro com Tamaka que emagreceu em tempo recorde lembrando que Hachiken chegou a visitar sua fazenda e toda sua família era acima do peso. Depois lhe enviam ovos cozidos que seu colega de quarto avisa a todos que chegaram e o protagonista não consegue comer nenhum sequer. Coitado.

E o porquinho que ele adotou mesmo o pessoal falando que nem deveria dar nomes aos bichos que vão crescer e virar bife, agora está enorme e a instrutora fala que ele está pequeno para os padrões dos porcos.

Silver Spoon sempre engraçado, é um mangá diferente de apreciar, mas que vale a pena pela comédia, para acompanhar o trabalho da mangaká Arakawa e por ser um mangá onde dá para se aprender algo.  Deem uma chance a Silver Spoon.

ST&RS (referente ao capítulo 19): Depois do flashback que mostrou por que Izumi é tão fechada e fez referências sobre o que pode ser a primeira mensagem, o capítulo 19 continua se arrastando, um grande mal de ST&RS, diferente de Bleach que também tem este problema, o mangá está longe das estabilidade lutando contra o cancelamento tem de esforçar para avançar com a história e atrair leitores, não o inverso.

Meguru vai procurar Izumi e lhe conta sobre a história de Maho, que revelou no tempo da escola primária que o mesmo poderia ser um ET e por isso sua primeira palavra foi Marte, e que o mesmo pode ter assim como Izumi recebido a primeira mensagem diretamente do espaço

Ao contrário de Izumi ele reage diferente fala que a história do seu pai e da amiga o fizeram ficar ainda mais curioso sobre o espaço e buscar novos amigos que pudessem complementar seus conhecimentos. Típico de atitude de protagonista meio abobalhado de shonen.

No final todo mundo pede desculpa pela briga do capítulo 17, olha só e só nisso que o capítulo avança. Fico triste porque ST&RS parece ir pelo mesmo caminho que Enigma começar muito bem e depois não saber para onde ir com a história e virar girando sem sair do lugar.

Magico (referente ao capítulo 38):  O capítulo até o momento mesmo com o atraso da sessão de mangás que já entra na semana da issue #2 de 2012 ainda não saiu nem em inglês, então fica os dois capítulos acumulados para a próxima sessão.

Até a próxima sessão

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s