Ser bom compensa?

POR FELIPE VALADÃO

Resolvi me fazer essa pergunta já há algum tempo. Compensa o caminho do bem?

Analisando os atos de algumas pessoas, às vezes me parece, que ser bom não é a regra e sim a exceção.

Outro dia eu estava na sala de espera de um consultório médico, quando um senhor já (ou quase) idoso chegou. Não havia lugares para ele sentar. Então me levantei e cedi o lugar para ele. As pessoas ali presentes ficaram olhando com uma cara assustada e o senhor ficou receoso de aceitar o lugar, eu precisei insistir.

O receio seria em virtude de isso ser incomum nos dias de hoje?

Infelizmente o considerado “bom”, “correto” é considerado “otário”.

Li uma vez, sobre uma montadora de carros na Alemanha. Uma brasileira estava lá fazendo entrevista com o gerente dessa fábrica. O pátio de estacionamento era bem grande para que todos (ou quase) os funcionários pudessem trabalhar com seus próprios carros. Essa brasileira reparou que as melhores vagas, próximas a entrada da empresa, estavam vagas. Ela então indagou o gerente o porquê destas vagas estarem vagas.

Ele então respondeu que quem chega cedo coloca o carro mais longe, pois tem tempo suficiente para estacionar e caminhar até a empresa tranquilamente, enquanto que quem chega atrasado, e tem obviamente menos tempo, precisa estar mais perto para poder entrar na empresa.

Aquilo para ele era muito óbvio e ele ficou espantando que para a brasileira aquilo fosse coisa de outro mundo.

Falando em brasileiros, nós temos o costume de reclamar dos políticos que infelizmente “assombram” este país. Tem salários e verbas de gabinete exorbitantes, desviam dinheiro, recebem propina, mentem de maneira descarada, não cumprem promessas…

Mas então analisemos primeiro o povo de maneira geral. Jogam lixo na rua, furam fila, não respeitam limites de velocidade no trânsito, dirigem embriagados…

Ou seja, os políticos nada mais são que o reflexo do povo.

Estaria então o mundo infestado de gente maligna?

Eu acredito que não. A grande maioria no mundo é de gente omissa.

Se fosse possível estipular um ranking a maior parte da população seria considerada omissa.

Os malignos não são a grande maioria, mas são aqueles que estão em maior “atividade”.

Os bondosos procuram fazer a sua parte, ajudando o próximo, combatendo o crime, não sendo conivente com coisas erradas…

E onde entram os omissos? Eles não são malvados, e em sua grande maioria não fazem tantas coisas erradas.

O seu grande problema é simplesmente utilizar a máxima do “tanto faz”.

“O fulano desviou dinheiro? Isso é comum…” “O cara cortou a fila? Deixa pra lá, vamos arrumar briga não…”

Eles não se importam com nada, desde que isso não os afete. Só correm atrás de punição quando algo de alguma maneira vai atingi-los.

Seria então a população brasileira uma “cambada” de omissos?

Sim, seria. Simples assim. Não se vêem grandes manifestações contra corrupção, crimes, serviços públicos de má qualidade…

Cansamos de ver na TV e internet que quando algo de errado acontece no estrangeiro o que acontece? O povo vai às ruas, se manifesta, se mobiliza. Claro tem exageros muitas vezes, colocam fogo em carros, depredam patrimônio público, privado…

Mas compare agora a corrupção daqui com a de lá, quem é pior? Compare o serviço público brasileiro com outros, qual é pior? Você pode dizer “eles têm dinheiro”. E nós não temos? Nossa carga tributária é uma das maiores do mundo, recursos há em abundância.  O que ocorre é que é mal gasto. Resumindo há roubo demais. Esse é o mal deste país e do mundo em geral.

Para mim é possível educar uma criança, para que ela se torne alguém responsável e correto.

Sim, existe gente boa no mundo.

E o resto? Punição. Quem tem a mente deturpada só vai aprender na base do “medo”. Ser preso, pagar multa…

E respondendo ao título, sim vale a pena ser bom. Utilizando a licença poética e religiosa, todos somos criaturas de Deus e temos que ser bons. Não só por obrigação, mas por dever.

O mundo ainda tem salvação, mas é necessário que os bons superem os omissos…

Uma consideração sobre “Ser bom compensa?”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s