Invertendo os papéis, os jogadores contam a sua história

POR LEONARDO “SILVERBOLT” DIAS

Quando se combina de jogar RPG os papéis são acertados no princípio, quem vão ser os jogadores e o mestre. Ser mestre dá um grande trabalho, tem de fazer um história que agrade a maioria, e se você se diverte um pouco mais, os jogadores falam que está sendo maldoso.

Para compensar há um único momento onde os jogadores tomam o lugar dos contadores da histórias, é a hora de escrever seu histórico. De onde veio? Porque virou aventureiro?  É hora de conhecer o processo, os tipos de perguntas mais comuns e como utilizar isso depois na aventura e não esquecer completamente da história que lhe foi contada.

O mestre pode deixar livre. Pedir o histórico e deixar nas mãos dos PCs, é mais fácil por um lado, porque com a liberdade é mais fácil deles administrarem um trabalho que nem todos gostam ou tem habilidade de fazer. Tem muito RPGista por aí que nunca mestrou, para quem mestrou histórico é um passo tranqüilo, já para os outros… a história é outra.

Com tais jogadores é melhor você tentar direcioná-los, pergunte sobre sua classe, sua família e reino, suas vantagens e desvantagens, sobre a escolha das perícias e magias, pode ser que o jogador nem tinha explicação para isso, outros tenho certeza que tem explicação para tudo que colocam na ficha.

Valorize os históricos mais completos, aproveite o que foi contado e aplique na aventura em determinada hora, o jogador pode ter uma magia rara no mundo devido ao histórico e alguém o procura para ajudá-lo, mas não tem dinheiro – sabemos que Rpgistas por natureza são mesquinhos – o que ele irá fazer?

Caso ele ajude o homem o mesmo pode contar a um bardo sobre aquele herói ou escrever um livro, e aí aquele PC que pegou a magia pelo motivo x e colocou lá no histórico com detalhes pode ver seu personagem importante no mundo por feitos que nunca imaginou que poderiam acontecer. A surpresa será boa e a diversão garantida.

Mais assim como disse na matéria da ficha de personagem, analise com cuidado os históricos, tem gente que abusa e coloca referências para ganhar itens mágicos, ser filho de reis e famílias nobres, etc. Na verdade são grandes armadilhas, corte pelo raiz, porque depois o mesmo ficará questionando onde está sua Dragonslayer, que ele herdou da família de caçadores.

Aproveite também para usar os históricos como ganchos para unir os personagens já que depois de muitas aventuras, certos plots para isso já estão mais que batidos. Assim você economiza tempo e idéias preciosas que poderá usar mais a frente.

Tente ajudar seus jogadores tanto na hora de elaborar o histórico, mas sem ficar dando palpites em tudo, fale qual será a ideia geral da aventura, caso questionem. Lógico que para isso terá que ter outros históricos ou fichas nas mãos, ou poderá indicar alguma coisa e com o conjunto formado pelo grupo isso não funcione ao pé da letra.

Escrever pelo menos para mim é tranqüilo, escrevo a beça – isso com certeza já perceberam.  Porém sei que há dificuldade para tudo, assim como eu tenho dificuldade de jogar RPG. De jogar veja bem! É tão raro eu ter oportunidade de sentar para fazer só um histórico e curtir, que…

…resolvi falar aqui do assunto.

Até breve

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s