Uma Bandeira A Todos Pacificar

POR JOSÉ ALFREDO

Algo que muito leigo pensa sobre animes é que eles só tratam de porradaria ou de menininhas seminuas fofotchenhas que descem a porrada. É, eles estão certos. Mas abençoado saber que nem todos os autores e nem todos os estúdios (bem, ao menos de vez em quando) sabem explorar bem a miríade de possibilidades de entretenimento e assunto que um anime pode abordar.

Normalmente é esse tipo de anime que mais chama minha atenção e será sobre um que provavelmente você não deve ter assistido que irei comentar. Ele se chama FLAG.

Tenho aqui uma grande coletânea de animes. Muitos deles obtive há anos e nem tive a oportunidade ou o “espírito devido” (seria algo que defino mais do que ânimo, é saber se estou com a mentalidade e emoção certas para poder absorver e compreender a proposta filme/anime/etc – aham, pura filosofia e frescura minha) para assistir. FLAG, no caso, eu tenho ele já faz 1 ano e 7 meses e só esses dias que resolvei vê-lo. Eu me surpreendi.

FLAG é um anime de 13 episódios que fora produzido pelo estúdio Aniplex que lançou trocentos animes famosos como Naruto, Full Metal Alchemist, Rurouni Kenshin e tantos outros e cujo diretor é Ryosuke Takahashi que só menciono aqui porque ele é o criador de Gasaraki!

Oquei, continuando…

E se uma bandeira tivesse o poder para extinguir uma guerra civil?

Num pequeno país asiático chamado Uddiyana está ocorrendo uma guerra entre duas facções que buscam o controle do governo e para evitar uma desgraça maior as Nações Unidas está se envolvendo para intermediar um acordo de paz entre essas duas facções.

Impressão minha ou já vi isso em algum lugar na TV?

Onde há algo importante acontecendo haverá alguém lá para documentá-lo e entre tantos jornalistas a que se destaca é Saeko Shirasu, uma fotojornalista especializada em guerras de 25 anos, que por uma coincidência do destino tirara uma foto durante uma ação pacificadora da UN (United Nations) que poderá ser a responsável pela paz em Uddiyana. Esta foto (já mostrada no início desse texto) fora mostrada em todo mundo e se tornara a bandeira que se tornaria o símbolo da paz naquele país. Todavia, enquanto a UN estava para formalizar um acordo de paz, a bandeira, peça fundamental para a concretização do acordo foi roubada por um grupo religioso extremista que está se beneficiando com a guerra.

Saeko e sua sempre presente câmera.


Aproveitando-se da não divulgação do roubo por esse grupo, a UN organiza e envia em segredo uma equipe (SDC – Special Development Comand) para reivindicar a bandeira e surpreendentemente convida Saeko, agora uma celebridade devido à foto, para atuar junto da equipe como jornalista e documentar toda a ação.

Além disso, fora disponibilizado para auxiliar a missão um HAVWC (High Agility Versatile Weapon Carrier) que é um mecha.

Um HAWVC, senhores.


Bem, foi-me apresentando essa série como um anime de mechas (estilo este que eu adoro), mas devo dizer que nesse caso classificá-lo assim seria um desrespeito.

A narrativa da história transcorre como se fosse um documentário com muitas cenas em POV (point of view ou ponto de vista que seria ver através dos olhos de alguém) da própria Saeko enquanto entrevista os soldados, filma as instalações da base onde se encontra e mais a frente quando acompanha a equipe para as investidas em busca da bandeira, sempre com sua câmera a tiracolo que a tudo grava ou tira fotos.

Essa forma de história combinada com o extremo realismo tanto na interpretação e personalidade das personagens e do ambiente foi algo que eu nunca esperei ver em um anime. Chega a ser crível aceitar a existência dos mechas no enredo.

Talvez muitos aqui já prejulguem que por parecer um documentário ele seja chato como um e sinceramente na primeira vez que parei para ver o episódio 1 não me senti em nada motivado para assistir, mas no dia que me senti com o espírito devido dei ao anime uma segunda chance e digo que valeu a pena. É um anime bem sério, mas consegue ser dinâmico e intrigante sempre o instigando a logo ver o episódio seguinte que é igualmente sensacional. Ah, não dá pra não se apaixonar pelo carisma de Saeko.

O traço do anime detalha bem as expressões faciais das personagens e são condizentes com as reações sentidas e mostradas por eles.

Recomendo que para os apreciadores de J Music que ouçam a abertura (nem é tão J, mas vale a pena) e o encerramento (particularmente minha favorita).

Abertura: Hope to Peace – http://www.youtube.com/watch?v=zS2hdT-Zd8Y

Encerramento: Lights – http://www.youtube.com/watch?v=-TfMylKXUiw

Para aqueles que querem assistir um anime bem fora dos padrões vistos atualmente e para quem quer mostrar a alguém que anime vai bem mais do que se espera, recomendo FLAG. Não vão se arrepender.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s